Os dois países apoiaram as novas sanções aplicadas pela ONU contra o governo asiático e, novamente, foram alvos de ameaças de Kim Jong-un

Kim Jong-Un, líder da Coreia do Norte, também ameaça os sul-coreanos chamando-os de
Reprodução/Twitter
Kim Jong-Un, líder da Coreia do Norte, também ameaça os sul-coreanos chamando-os de "cachorro dos EUA"

A Coreia do Norte ameaçou nesta quinta-feira (14) que vai usar armas nucleares para “afundar” o Japão e reduzir os Estados Unidos a “cinzas e escuridão”. A declaração é uma resposta ao apoio dos dois países a uma resolução e sanções do Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU)  contra o último teste nuclear do regime norte-coreano.

Para a Coreia do Norte , é necessário "desferir um golpe" sobre os japoneses, que "não demonstraram razoabilidade", nem mesmo depois do lançamento de um míssil balístico intercontinental sobre o arquipélago, cujas ilhas "deveriam afundar no mar pela bomba nuclear Juche", conforme afirmou um porta-voz do Comitê Norte-Coreano para a Paz da Ásia-Pacífico em um comunicado divulgado pela agência KCNA. O exercício foi o mais poderoso da nação asiática, o que causou uma crise diplomática, aumentando ainda mais o clima de tensão.

O Juche é a ideologia governista do país que envolve o marxismo e uma forma de nacionalismo isolado pregado pelo fundador do Estado, Kim Il Sung, avô de Kim Jong Um, atual líder norte-coreano.

Sanções

O Conselho de Segurança da ONU decidiu, por unanimidade, que fica proibido exportações de produtos têxteis do país e limitou as importações de petróleo em 11 de setembro. As novas sanções são uma resposta ao teste nuclear. De acordo com o governo da Coreia do Norte, o  exercício com uma bomba de hidrogênio foi ‘bem-sucedido’.

O regime liderado por Kim Jong-un acusou a organização de ter se tornado em "uma ferramenta do mal" que serve aos EUA, e que ao invés de garantir a paz e a segurança, "destrói sem piedade".

"O Conselho de Segurança da ONU é composto por países sem princípios e, em consequência, uma ferramenta tão inútil deve ser dissolvida imediatamente", diz o comunicado da KCNA.

Coreia do Sul

O governo sul-coreano também foi alvo das ameaças. A nação está sendo chamada de “traidores” e “cachorros dos Estados Unidos” ao pedir sanções mais duras para seus "compatriotas".

"O grupo de traidores pró-americanos deve ser severamente punido e liquidado com um ataque de fogo para que eles não possam sobreviver. Só então, a nação coreana poderá prosperar em um território unificado", afirmou o comitê norte-coreano.

Leia também: Coreia do Sul alerta que vizinha do Norte já prepara outro teste de míssil

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.