Ex-secretária de Estado aparece com 46% da preferência do eleitorado, enquanto o magnata, que diz ter tratado mulher como "vadia", caiu para 35%

Candidatos à presidência dos EUA, Donald Trump e Hillary Clinton, participam de segundo debate na TV americana
Reprodução/PBS
Candidatos à presidência dos EUA, Donald Trump e Hillary Clinton, participam de segundo debate na TV americana

A primeira pesquisa realizada após a divulgação de um vídeo com frases sexistas do republicano Donald Trump  mostra uma disparada da democrata Hillary Clinton nas intenções de voto dos norte-americanos para a Presidência.

Segundo a sondagem, realizada a pedido da "NBC" e do "Wall Street Journal", a ex-secretária de Estado aparece com 46% da preferência do eleitorado, enquanto o magnata Donald Trump  caiu para 35%. Já o libertário Gary Johnson tem 9%, e a verde Jill Stein, 2%.

No levantamento anterior feito pela "NBC", Hillary estava com os mesmos 46%, mas Trump tinha 41%. A pesquisa foi realizada entre os dias 8 e 9 de outubro, no calor da divulgação do vídeo do bilionário, e possui margem de erro de 4,6 pontos percentuais para mais ou para menos.

Polêmica

A um mês das eleições norte-americanas, uma gravação de Donald Trump falando de maneira ofensiva sobre as mulheres foi divulgada pelo jornal norte-americano “The Washington Post”. Nos áudios obtidos, o magnata afirma poder "fazer qualquer coisa com as mulheres quando se é famoso", viralizou.

O magnata conversa com o apresentador Billy Bush sobre uma tentativa falha de seduzir uma mulher enquanto são transportados em um trailer até o estúdio onde faria participação especial em uma novela da rede “NBC”. A gravação foi realizada em 2005. “Tratei-a como uma vadia, mas não consegui chegar lá. Ela era casada”, afirma Trump em tom de deboche.

Quando uma assistente da emissora se aproxima do veículo, Trump comenta: “Sabe que sou automaticamente atraído por mulheres bonitas. Eu simplesmente as beijo. É magnético. Nem mesmo espero. E quando você é famoso, elas deixam você fazer qualquer coisa”, enfatiza o milionário. “Pegá-las da maneira como quiser. Você pode fazer qualquer coisa”, reafirma Trump.

LEIA MAIS:  Trump x Clinton: quem venceu o debate presidencial nos EUA?

A rede NBC, que produz e distribui o seriado em que Trump participou não quis comentar o caso.

Para se defender, o candidato declarou se tratar apenas de "papo de vestiário", mas ainda assim vem perdendo apoio entre os republicanos. As frases sexistas serviram de combustível para um agressivo debate entre Trump e Hillary no último domingo (9), no qual o bilionário acusou o ex-presidente Bill Clinton de assédio sexual contra várias mulheres.

* Com informações da Ansa

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.