Uma estrada está sendo construída no local do acidente para facilitar a remoção de partes grandes do avião; restos mortais estão sendo levados de helicóptero para laboratório

Os investigadores encontraram 600 partes de corpos e conseguiram isolar 78 amostras de DNA no local do acidente do Airbus A320 Germanwings, segundo iinformou neste domingo (29) o procurador de Marselhesa, na França, Brice Robin. As amostras serão comparadas com as de familiares das vítimas. 

Leia também:  Piloto mandou copiloto abrir "maldita porta", revela gravação da caixa-preta

Copiloto da Germanwings prometia gesto para que todos lembrassem dele

 Corpos de vítimas de queda de avião começam a ser recuperados. (26/03/2015)
DICOM / Ministère de l’interieur/Fotos Públicas
Corpos de vítimas de queda de avião começam a ser recuperados. (26/03/2015)

De acordo com informações do jornal Le Figaro, uma estrada está sendo construída para facilitar a remoção de partes da cabine. A via deve ser concluída até a noite de segunda-feira e permitirará o transporte de partes mariores da fuselagem que não podem ser levadas via área.  Até o momento, helicópteros têm sido usados para os investigadores chegarem até o local do acidente. O local de difícil acesso, no entanto, dificulta as buscas. 

Como é feita a identificação dos corpos

Desde o desastre terça-feira, os investigadores estão a tentar reunir o máximo de provas para identificar as vítimas. A polícia nacional montou um laboratório em Seyne, que não teve a localização revelada. Neste local, trabalham "cinquenta médicos legistas, dentistas forenses, a polícia nacional que trabalha na identificação, e técnicos de investigação criminal estão mobilizados para trazer os corpos das vítimas a seus familiares o mais rápido possível ", disse sexta-feira tinha AFP Patrick Touron, Vice-Diretor do instituto de investigação da polícia. 

De acordo com o alemão Michael Tsokos, diretor Instituto de Medicina Legal e Ciências Forenses, que também está trabalhando na identificação dos corpos das 150 vítimas do voo da Germanwings, os restos mortais do copiloto Andreas Lubitz, apontado como o causador da tragédia, já foram encontrados. O teste de DNA confirmou a identidade. 

Tsokos diz que itens com traços genéticos, como escovas de dentes, lâminas de barbear, joias e cabelo, estão sendo recolhidas e levadas para um laboratório em Barcelona. Médicos forenses também estão testando amostras no laboratório montado perto do local do acidente. Familiares também estão sendo convidados e questioandos sobre as roupas que as vítimas usavam no dia do acidente. Também são questionados sobre marcas específicas como tatuagens e arcadas dentárias. 

O professor diz que esses detalhes vão ajudar a identificar os restos mortais e as informações serão confrontadas com a lista de passageiros. Cada parte do corpo, diz ele, é fotografado e digitalizado em 3D antes de ser colocado em refrigeração. Identificado, os restos mortais  serão colocados em um caixão lacrado e pronto para o funeral. 

Leia mais:  Responsável francês por investigação não descarta falha mecânica no Airbus

Ele disse que nas próximas três semanas, até 95% de todas as vítimas devem ter sido identificadas. 

O airbus 320 da Germanwings bateu contra montanhas dos alpes franceses na última terça-feira (24) matando 150 pessoas a borda. O avião partiu de Barcelona e tinha como destino a cidade de Dussedorf, na Alemanha. As investigações apontam que o copiloto Andreas Lubitz causou o acidente de propósito. 

Papa reza pelas vítimas

O p apa Francisco rezou a missa do "Domingo de Ramos", tradicional cerimônia religiosa que inicia a semana da Páscoa, e lembrou as vítimas da queda do avião da Germanwings, segundo a agência de notícias Ansa. 

Destacando também o Dia Mundial da Juventude, que ocorre neste domingo, o Pontífice pediu orações "às vítimas do acidente aéreo da última terça-feira, entre os quais estavam também um grupo de estudantes alemães".



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.