Esse é o mais recente de uma série de ataques violentos em que extremistas islâmicos são vistos como possíveis culpados

Uma explosão atingiu um shopping lotado na capital da Nigéria, Abuja, nesta quarta-feira (25) deixando ao menos 21 mortos e 17 feridos, de acordo com a polícia.

Testemunhas: Boko Haram sequestra mais 60 mulheres na Nigéria

Equipes de resgate carregam os restos de uma pessoa em um saco depois da explosão em um shopping em Abuja, Nigéria
AP
Equipes de resgate carregam os restos de uma pessoa em um saco depois da explosão em um shopping em Abuja, Nigéria

Maio: Presidente da Nigéria anuncia ampla ofensiva contra o Boko Haram

Testemunhas dizem que partes de corpos ficaram espalhadas ao redor da saída do EMAB Plaza, localizado no sofisticado subúrbio de Wuse 11, em Abuja. Nuvens de fumaça preta podiam ser vistas a mais de um quilômetro de distância. Todos falaram sob condição de anonimato por medo de represálias.

Esse é o mais recente de uma série de ataques violentos em que extremistas islâmicos são considerados possíveis culpados. Forças de segurança nigerianas parecem incapazes de conter os ataques quase diários que se concentram no nordeste, onde fica o reduto dos extremistas do Boko Haram .

Saiba mais sobre o Broko Haram e outros grupos terroristas:

Dia 14: Extremistas matam 14 em ataque contra espectadores de jogo da Copa

Abuja, onde os militantes têm realizado vários ataques, fica no centro da Nigéria. Duas explosões separadas em maio deixaram mais de 120 mortos e cerca de 200 feridos em um terminal de ônibus. Ambos os ataques foram reivindicados pelo Boko Haram, que ameaçou realizar novos atos.

Na segunda-feira, a explosão de uma bomba em uma faculdade de medicina no norte de Kano deixou ao menos oito mortos. Na semana passada, pelo menos 14 morreram em explosão em Damaturu , capital do Estado de Yobe, no nordeste nigeriano, onde era exibido um jogo da Copa do Mundo.

Em maio, carros-bomba no centro da cidade de Jos deixaram mais de 130 mortos, enquanto um outro em um posto de ônibus deixou 24 mortos em um bairro cristão da cidade muçulmana de Kano.

O Boko Haram atraiu a atenção internacional após os sequestros em massa de mais de 200 alunas em abril e é acusado de raptar mais 91 pessoas esta semana - 31 meninos e 60 meninas e mulheres.

Militares e o governo da Nigéria dizem que estão ganhando a guerra, mas o ritmo e letalidade dos ataques aumentaram este ano deixando mais de 2 mil mortos até agora, em comparação com estimativa de 3,6 mil mortos nos últimos quatro anos.

Boko Haram tem o objetivo de fundar um Estado islâmico na Nigéria, nação do oeste africano que tem 170 milhões de habitantes quase igualmente divididos entre muçulmanos, no norte, e cristãos, no sul.

*Com AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.