Tufão Haiyan pode ter matado mais de 10 mil pessoas nas Filipinas

Por BBC | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Informação sobre número de mortos é das autoridades do país; maioria das vítimas morreu afogada ou soterrada

BBC

Autoridades das Filipinas afirmam que cerca de 10 mil pessoas podem ter morrido apenas na cidade de Tacloban, capital da província de Leyte, em consequência do tufão Haiyan, que devastou algumas regiões do país na sexta-feira.

O número foi estimado pelo prefeito da cidade, Tecson Lim, em entrevista à agência de notícias Associated Press. Um dos tufões mais violentos já registrados em terra firme, o Haiyan destruiu casas, escolas e o aeroporto de Tacloban com fortes temporais e ventos de mais de 370km/h.

A ilha de Samar, vizinha à Leyte, também foi fortemente abalada. Há relatos de que 300 pessoas tenham morrido no local e outras 2 mil estariam desaparecidas. Até agora o governo filipino confirmou apenas 150 mortes.

O repórter da BBC Rupert Wingfield-Hayes está em Tacloban. Ele diz que não há água, energia e o estoque de comida é pouco. Autoridades da cidade encontram dificuldades para distribuir mantimentos e há relatos de saques por toda parte.

Segundo Wingfield-Hayes, centenas de pessoas estão no aeroporto, que foi parcialmente destruído, na esperança de conseguir um voo que os leve para fora da cidade.

Operação de resgate

O ministro do Interior das Filipinas, Mar Roxas, diz que é preciso reforçar as operações de resgate principalmente em áreas descritas por ele como "mar de lamas e destroços".

"Do helicóptero é possível ver a escala da devastação. Não sobrou nada em pé, foi como um tsunami", disse ele à agência Reuters.

Segundo o chefe de polícia Elmer Soria, cerca de 80% das áreas da província de Leyte que estavam na rota do tufão foram totalmente destruídas.

A maior parte das vítimas teria morrido afogada ou soterrada por prédios que desabaram, disse ele.

Os Estados Unidos ofereceram ajuda às Filipinas. O secretário de Defesa, Chuck Hagel, anunciou que seu país vai enviar helicópteros, aviões e equipamentos de resgate. A Comissão Europeia vai liberar US$ 4 milhões em ajuda de emergência e está enviando uma equipe de especialistas em assistência humanitária.

Uma entidade do governo britânico também vai participar dos esforços de resgate com US$ 8milhões em ajuda e equipamentos de emergência. Quatro especialistas já estão na área do desastre. As Nações Unidas vão fornecer barracas, comida e outros mantimentos.

O tufão Haiyan está a caminho do Vietnã. Mais de 600 mil pessoas foram evacuadas nas províncias do norte do país. Ao menos quatro pessoas morreram, tentando escapar de fortes chuvas que já atingem a região.

Leia tudo sobre: tufãofilipinas10 mil mortos

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas