Número de mortos em terremoto no Paquistão sobe para 285

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

'Estou devastado. Perdi minha família', diz paquistanês que teve a esposa e o filho mortos após tremor no Baluquistão

Equipes de resgate lutavam nesta quarta-feira (24) para ajudar milhares de feridos e desabrigados depois que suas casas foram destruídas por um forte terremoto na região sul do Paquistão. O número de mortos na tragédia subiu para ao menos 285.

Magnitude 7,7: Forte terremoto atinge o Paquistão e cria ilha

AP
Paquistaneses procuram pertences em meio a destroços de casas destruídas com o terremoto no distrito de Awaran, Baluquistão

Infográfico: Entenda como acontecem os terremotos e tsunamis

O movimento do solo foi tão violento que uma pequena ilha visível da praia foi criada na costa sul depois do terremoto de magnitude 7.7 no remoto distrito de Awaran, na província paquistanesa do Balúquistão nesta terça.

O terremoto deixou ao menos 373 feridos, segundo informou o chefe da Autoridade da Defesa Civil, major general Muhammad Saeed Aleem, que também forneceu a atualização no número de mortos.

Na região mais atingida, o vilarejo de Dalbadi, Noor Ahmad disse que estava trabalhando quando ocorreu o terremoto. Ele correu para sua casa e encontrou sua esposa e seu filho mortos. Ele relatou que retirou seus corpos dos destroços e ajudou outros parentes que estavam perdidos. "Estou devastado. Perdi minha família", disse.

Homens, mulheres e crianças passaram a manhã sentados em abrigos improvisados, onde recebiam tratamento médico. O fato de a região ser remota e sem infraestrutura ideal dificulta o trabalho de resgate e socorro dos feridos.

"Estamos percebendo que é muito difícil alcançar essas regiões remotas afetadas", disse um porta-voz do governo da província Jan Mohammad Bulaidi. "Precisamos de mais tendas, mais remédios e mais comida."

Ele descreveu cenas horríveis de pessoas que perderam os membros durante o terremoto e que precisarão ser transferidas para hospitais em cidades mais importantes, como Quetta, a capital da província do Baluquistão, e Karachi.

O Exército paquistanês disse que enviou cerca de mil soldados e helicópteros para a região durante a noite. Um comboio de 60 caminhões do Exército deixaram Karachi na manhã desta quarta-feira, levando suprimentos aos prejudicados pelo terremoto.

Autoridades paquistanesas investigam agora se o forte terremoto também criou uma nova ilha na costa ao sul do país. O diretor geral do Departamento Meteorológico do Paquistão, Arif Mahmood, disse que testemunhas registraram o surgimento de uma pequena ilha próximo ao porto de Gwadar.

Ele afirma que o tremor pode ter provocado a elevação do solo no fundo do mar, mas autoridades precisam investigar com mais profundidade. O chefe da polícia de Gwadar, Pervez Umrani, disse que a nova massa de terra é visível da praia.

Com AP

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas