Explosão de carro-bomba mata ao menos 18 em reduto do Hezbollah em Beirute

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Ataque é vinculado ao conflito sírio, já que opositores de Assad prometeram retaliar a apoio do Hezbollah à Síria

A forte explosão de um carro-bomba atingiu um reduto do grupo militante libanês xiita Hezbollah nos subúrbios localizados ao sul da capital do país, Beirute. Segundo a TV do Hezbollah, Al-Manar, e o funcionário da Cruz Vermelha George, a explosão deixou ao menos 18 mortos e 280 feridos. Há informações de que várias pessoas estão presas em escombros em chamas.

Em julho: Explosão atinge reduto do Hezbollah em Beirute, Líbano

AP
Cidadãos libaneses e partidários do Hezbollah se reúnem em local de ataque com carro-bomba no sul de Beirute

Hezbollah: Conheça a história do movimento xiita libanês

Ao jornal Daily Star, o ministro do Interior libanês, Marwan Charbel, confirmou que a explosão foi causada por um carro-bomba. Imagens da TV libanesa mostraram chamas se alastrando por uma rua comercial e residencial do distrito de Rweiss, de maioria xiita e um dos bastiões de apoio ao Hezbollah. 

De acordo com a rede de TV Al-Manar, a explosão atingiu a principal estrada que separa Rweiss de Beir al-Abed, local onde, no mês passado, um carro-bomba explodiu em outro subúrbio de Beirute deixando mais de 50 feridos.

Julho: UE declara braço militar do Hezbollah como grupo terrorista

Fumaça vista a partir do Monte Líbano sobre de local de ataque com carro-bomba em Beirute, Líbano (15/8)
. Foto: APLibaneses são vistos em local de explosão de carro-bomba em reduto do Hezbollah em Beirute, Líbano (15/8)
. Foto: APCidadãos libaneses (D) fogem de suas casas por meio das varandas de prédios destruídos por explosão de carro-bomba no Líbano. Foto: APCidadãos libaneses correm ao lado de carros e lojas incendiados após explosão de carro-bomba em Beirute. Foto: APPessoas pedem ajuda aos gritos após explosão de carro-bomba em subúrbio ao sul de Beirute, Líbano. Foto: ReutersFuncionário da defesa civil do Hezbollah caminha perto de carro em chamas em local de explosão no subúrbio de Beirute, Líbano. Foto: APPessoas reagem em desespero após explosão de carro-bomba em subúrbio de Beirute. Foto: ReutersCidadãos libaneses e partidários do Hezbollah se reúnem em local de ataque com carro-bomba no sul de Beirute
. Foto: APMulher chora em local de explosão no sul de Beirute. Foto: ReutersFumaça é vista saindo do local de uma explosão ao sul de Beirute, no Líbano. Foto: Reuters

A TV Al-Manar, do Hezbollah, disse que a explosão aconteceu na principal via que separa Rweiss de Beir al-Abed, informando que vários corpos foram vistos na rua após a explosão. A explosão incendiou carros e lançou uma fumaça preta ao ar. Dezenas de ambulâncias correram ao local e bombeiros tentam retirar os residentes dos prédios em chamas.

Cenário: Hezbollah posiciona Líbano na defesa de Assad na Síria

Reuters
Pessoas se reúnem no local de explosão nos subúrbios do sul de Beirute

Conflito na Síria

A explosão está sendo vinculada ao conflito na Síria, que piorou as tensões sectárias no Líbano. Rebeldes baseados na Síria e grupos militantes islâmicos que se opõem ao presidente sírio, Bashar al-Assad, ameaçaram retaliar o Hezbollah por intervir em favor de Damasco na guerra civil.

NYT: Hezbollah assume riscos ao combater rebeldes sírios em defesa de Assad

Combatentes do grupo xiita libanês desempenharam um papel-chave em uma vitória recente na cidade de Qusair, perto da fronteira libanesa, e ativistas sírios dizem que agora eles auxiliam a ofensiva do regime na sitiada cidade de Homs.

A violência levanta a possibilidade de o Líbano ser mergulhado no conflito civil cada vez mais sectário da Síria. As tensões entre sunitas e xiitas aumentaram drasticamente no Líbano, particularmente depois de o Hezbollah aumentar sua projeção ao combater abertamente ao lado das forças de Assad. Os sunitas libaneses apoiam os rebeldes que tentam depor Assad, que é alauíta - um braço do xiismo.

Com AP e BBC

Leia tudo sobre: líbanoexplosãohezbollahsíriaassadguerra sectáriaxiitassunitas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas