Snowden recebe asilo temporário da Rússia e deixa aeroporto, diz advogado

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Autor de vazamentos de segredos dos EUA estava na zona de trânsito de aeroporto de Moscou desde 23 de junho

O ex-prestador de serviços da Agência Nacional de Segurança (NSA, sigla em inglês) Edward Snowden deixou a zona de trânsito do aeroporto de Moscou e entrou na Rússia depois que as autoridades do país garantiram a ele asilo temporário por um ano, disse seu advogado nesta quinta-feira (1º).

Lonnie: Pai de Snowden diz que recebeu pedido do FBI para visitar filho

EUA à Rússia: Snowden não enfrentará a pena de morte nem será torturado

AP
Advogado russo Anatoly Kucherena mostra documento provisório que permite a Edward Snowden cruzar a fronteira russa

Putin: Relações com EUA são mais importantes que rixas sobre Snowden

Presidente russo: EUA bloquearam Snowden na Rússia

Anatoly Kucherena disse que o paradeiro de Snowden será mantido em segredo por razões de segurança. O autor dos vazamentos de segredos da NSA estava na zona de trânsito do aeroporto Sheremetyevo, em Moscou, desde que havia chegado de Hong Kong em 23 de junho. "Ele agora é um dos homens mais procurados do mundo", disse Kucherena no aeroporto. "A questão da segurança é muito importante para ele."

Snowden disse nesta quinta que a decisão da Rússia é uma vitória do regime da lei, agradecendo a Moscou e acusando o governo dos EUA de desrespeitar as leis internacionais. "Nas últimas oito semanas vimos o governo Obama não mostrar nenhum respeito pela lei internacional e interna, mas no final a lei está vencendo. Agradeço à Federação Russa por conceder o asilo", disse em comunicado divulgado pelo WikiLeaks.

Os EUA exigiam que a Rússia extraditasse Snowden para que ele enfrentasse as acusações de espionagem na Justiça, mas o presidente Vladimir Putin descartou o pedido.

NYT: Chat criptografado e reunião secreta possibilitaram expor programa

Dia 24: Câmara dos EUA rejeita barrar programa de monitoramento telefônico

Putin disse que Snowden poderia receber asilo na Rússia com a condição de que parasse de vazar segredos dos EUA. Kucherena afirmou que Snowden aceitou essa condição.

O jornal The Guardian publicou na quarta-feira uma nova reportagem sobre os programas de monitoramento dos EUA baseado em informações provenientes de Snowden, mas Kucherena disse que o material foi fornecido antes que Snowden se comprometesse a parar de vazar documentos.

Denúncias pelo vazamento de Snowden:
Brasil: Leia todas as notícias sobre a espionagem no Brasil
Bild: Espionagem alemã usou dados de monitoramento dos EUA
Monitoramento: EUA mantêm ampla base de dados telefônicos
Prism: EUA coletam dados de nove empresas de internet
Jornal: EUA podem usar dados de inteligência sem mandado
Anfitrião: Reino Unido espionou autoridades do G20 em 2009
Guerra cibernética: EUA espionam computadores da China
Diplomatas: Europa exige respostas sobre supostos grampos dos EUA

AP
Imagem fornecida pela HRW mostra Edward Snowden em coletiva no aeroporto de Sheremetyevo ao lado de Sarah Harrison, do WikiLeaks

Snowden, que revelou detalhes de um programa de inteligência dos EUA para monitorar dados telefônicos e atividades na internet, teve ofertas de asilo da Venezuela, Nicarágua e Bolívia, e disse que queria visitar esses países. No entanto, as logísticas para chegar a qualquer um desses países são complicadas, porque seu passaporte dos EUA foi revogado.

Kucherena havia afirmado anteriormente que o asilo temporário permitiria que Snowden viajasse livremente apenas dentro da Rússia. O asilo de um ano pode ser estendido.

O grupo do site de vazamentos WikiLeaks disse que sua assessora jurídica Sarah Harrison está agora acompanhando Snowden. O grupo também elogiou a Rússia pelo oferecimento de abrigo ao americano. "Gostaríamos de agradecer ao povo russo e todos os outros que ajudaram a proteger Snowden", disse WikiLeaks no Twitter. "Vencemos a batalha - agora a guerra."

Kucherena disse que Snowden demorou pouco tempo para fazer as malas e deixou o aeroporto em um táxi. Segundo o advogado, o fugitivo tinha amigos na Rússia, inclusive alguns americanos, que poderiam garantir sua segurança. 

Após Venezuela e Nicarágua: Bolívia oferece asilo a delator dos EUA

O caso Snowden aprofundou as tensões das já complicadas relações entre os EUA e da Rússia, principalmente por causa da guerra da Síria, das críticas americanas em relação aos direitos humanos na Rússia, entre outras questões.

O assessor de Putin para relações exteriores, Yuri Ushakov, tentou atenuar o impacto que isso terá nas relações entre Moscou e Washington. "A questão não é significativamente suficiente para ter impacto nas relações políticas", disse, segundo agências russas de notícias.

Os EUA reagiram à concessão do asilo afirmando estarem desapontados com a decisão, acrescentando que o presidente Obama pode desistir de comparecer a uma reunião de cúpula em Moscou neste ano. "Vemos isso como um desdobramento infeliz e estamos extremamente desapontados com isso", disse o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney.

Com AP e Reuters

Leia tudo sobre: snowdenregistros da verizonregistros da interneteuansafisarússia

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas