Otan precisa se preparar para reagir à ameaça química da Síria, diz Kerry

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Declaração de secretário de Estado dos EUA é feita no mesmo dia em que membro do Exército de Israel afirmou que Síria usou armas químicas repetidamente em conflito

O secretário de Estado americano, John Kerry, disse nesta terça-feira que a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) precisa considerar o seu papel na crise síria, incluindo quão preparada está em termos práticos para responder a uma possível ameaça de armas químicas do regime de Bashar al-Assad.

Sarin: Israel acusa governo Assad de usar armas químicas contra rebeldes sírios

AP
Secretário de Estado dos EUA, John Kerry, sorri enquanto conversa com mídia no fim de encontro do Conselho Otan-Rússia em Bruxelas

Dezembro: Otan alerta para 'resposta imediata' se Síria usar armas químicas

Kerry disse em uma reunião de ministros das Relações Exteriores da Otan, em Bruxelas, que o planejamento que a aliança já havia feito era apropriado e acrescentou: "Devemos também considerar cuidadosa e coletivamente como a Otan está preparada para responder para proteger seus membros de uma ameaça da Síria, incluindo qualquer potencial ameaça de armas químicas."

A Otan, a aliança militar de 28 países liderada pelos EUA, tem dito repetidamente que não tem intenção de intervir militarmente na guerra civil da Síria.

Março: Síria e rebeldes trocam acusações de 'ataque químico'; EUA negam alegações

Janeiro: Israel ameaça atacar se Síria perder controle de armas químicas

No entanto, a Otan enviou baterias de mísseis Patriot para a vizinha Turquia para ajudar a defender o membro da aliança contra um possível ataque de mísseis da Síria.

Mais cedo nesta terça-feira, o principal analista de inteligência do Exército de Israel afirmou que as forças do governo sírio haviam usado armas químicas- provavelmente gás nervoso sarin - em sua luta contra os rebeldes que tentam derrubar Assad.

Em reação à declaração, o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, disse que os EUA não concluíram que o governo sírio usou armas químicas contra seu próprio povo, acrescentando que é difícil determinar quando essas armas são usadas. Ele afirmou que os EUA continuam preocupados com relatos de que essas armas foram utilizadas.

O presidente dos EUA, Barack Obama, classificou o uso de armas químicas como uma "linha vermelha" para os Estados Unidos, indicando que isso desencadearia uma ação não especificada dos EUA.

Obama: Líder sírio será responsabilizado se tiver usado armas químicas

O secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, disse que a Otan está "extremamente preocupada com o uso de mísseis balísticos na Síria e o possível uso de armas químicas".

*Com Reuters

Leia tudo sobre: síriaassadkerryarmas químicasisraelmundo árabeprimavera árabe

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas