Explosões na Maratona de Boston deixam ao menos três mortos nos EUA

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Duas bombas são detonadas perto da linha de chegada e deixam mais de 130 feridos; presidente dos EUA diz que responsáveis 'sentirão todo o peso da Justiça'

Duas bombas explodiram nesta segunda-feira (15) nas ruas lotadas perto da linha de chegada da Maratona de Boston, nos EUA, deixando ao menos três mortos e mais de 130 feridos, disseram autoridades. Ainda não está claro quem são os responsáveis pelo ataque, mas o presidente dos EUA, Barack Obama, prometeu que os autores serão descobertos, assim como sua motivação, e que eles "sentirão todo o peso da Justiça".

De acordo com a rede de TV CNN, um dos mortos é um menino de oito anos. Oito hospitais disseram tratar de ao menos 134 feridos, dos quais 15 estão em condição crítica. Os ferimentos vão de cortes e hematomas a amputações. Muitas das vítimas sofreram ferimentos na parte inferior das pernas. Também há ferimentos por estilhaços, com algumas das vítimas tendo sofrido ruptura do tímpano.

Cenário: 'Explosões deixaram vários amputados', diz corredor da maratona de Boston 

AP
Médicos ajudam homem ferido após explosões atingirem maratona de Boston, nos EUA

Obama: Responsáveis por explosões em Boston responderão à Justiça

Tensão: Cidades americanas e Londres aumentam segurança após explosões em Boston

Em declarações cautelosas na Casa Branca, Obama evitou classificar o incidente de terrorismo, apesar de uma fonte da Casa Branca posteriormente afirmar que o governo está lidando com a questão como "um ato terrorista". "Qualquer evento com múltiplos explosivos - como parece ser o caso - é claramente um ato de terror, e abordaremos isso dessa forma", disse a autoridade sob condição de anonimato. "Entretanto, não sabemos quem lançou essa ação, e por meio da investigação determinaremos se foi planejado e lançado por um grupo terrorista, externo ou doméstico", completou.

A polícia de Boston afirmou que por enquanto não há nenhum suspeito sob custódia, enquanto autoridades em Washington informaram que não houve nenhuma reivindicação de responsabilidade. A investigação está a cargo do FBI.

O comissário do Departamento de Polícia de Boston, Edward Davis, recomendou que a população fique em locais fechados e evite juntar-se a multidões. Ele também afirmou que os investigadores não sabem precisamente onde as bombas foram colocadas ou se foram escondidas em caixas de correio ou lixeiras. Em incidente separado, a Biblioteca JFK teve um incêndio nesta segunda-feira, algo descrito inicialmente como explosão. Posteriormente, porém, a polícia descartou relação com as explosões na maratona.

Roupen Bastajian, um policial de Rhode Island que participava da competição, disse ter visto mais de 20 pessoas com vários ferimentos graves, incluindo membros amputados. "Comecei a correr em direção à explosão, e havia pessoas em todo o chão", disse. "Começamos a pegar torniquetes e a prender as pernas. Vários amputados... ao menos 25 a 30 pessoas estavam sem ao menos uma perna, ou sem o pé na altura do calcanhar ou sem as duas pernas."

Assista ao vídeo do Boston Globe do momento da explosão:

Por causa das explosões, autoridades desviaram os retardatários da área que ficou sob fumaça no percurso de 40 km da maratona. De acordo com autoridades de Inteligência citadas pela Associated Press, mais dois explosivos foram encontrados no local e foram desativados.

Competidores e voluntários da maratona choravam ao fugir do caos. Espectadores com sangue nas roupas foram carregados para tendas médicas que haviam sido montadas no local para tratar corredores que passassem mal durante a prova.

"Há muitas pessoas no chão", disse um homem, cujo número 17.528 o identificava como Frank Deruyter. Ele não ficou ferido, mas voluntários que trabalhavam na maratona carregavam uma mulher - que não aparentava ser uma corredora - para uma tenda enquanto sangue jorrava de sua perna. 

Cerca de duas horas depois que os vencedores cruzaram a linha de chegada, houve uma forte explosão na parte norte da rua Bolyston. Outra explosão foi ouvida poucos segundos depois, deixando a praça Copley cheia de fumaça. A corredora Laura McLean de Toronto disse ter ouvido duas explosões de fora da tenda médica. "Há pessoas realmente sangrando muito", disse.

Veja galeria de fotos:

Memorial improvisado com par de tênis de corrida é visto em campus de Universidade de Boston após identificação de estudante como um dos mortos em ataque de segunda (17/04). Foto: APInvestigador do FBI desce em guindaste com uma bolsa recolhida do alto de um prédio próximo ao local onde houve explosões na Maratona de Boston (17/04). Foto: APInvestigadores vasculham área perto de linha de chegada de Maratona de Boston dois dias depois de explosão de bombas (17/04). Foto: APFotos da cena das explosões da Maratona de Boston tirada por investigadores mostram os restos do explosivo (17/04). Foto: ReutersLizzie Lee, 56, que participava de sua primeira Maratona de Boston, segura vela e flor durante vigília por vítimas de ataque (16/04). Foto: APHomem coloca bilhete com flores em barricada de polícia perto da linha de chegada da Maratona de Boston (16/04). Foto: APInvestigadores numeram vidros destruídos e destroços em local da explosão de primeira bomba na Maratona de Boston (16/04). Foto: APVizinhos sentam do lado de fora de casa de pais de Krystle Campbell, que foi morta no ataque em Boston (16/04). Foto: APCorredor de 78 anos é protegido por polícia após cair durante segunda explosão perto de linha de chegada da Maratona de Boston (15/04). Foto: APHomem caminha com as calças rasgadas após explosões na Maratona de Boston (15/04). Foto: APSegunda bomba explode perto de linha de chegada da Maratona de Boston (15/04). Foto: APCom roupas de proteção, investigadores vasculham área afetada por explosão perto de linha de chegada na Maratona de Boston (15/04). Foto: APPessoas correm após explosões na Maratona de Boston (15/04). Foto: APPolicial leva garoto ferido de cadeira de rodas após explosões durante a maratona de Boston, nos EUA (15/04). Foto: APCriança chora após explosões atingirem maratona de Boston, nos EUA (15/04). Foto: ReutersCorredoras reagem após segunda explosão atingir maratona de Boston, nos EUA (15/04). Foto: APAtleta cai e recebe ajuda após segunda explosão em Boston (15/04). Foto: APNo Salão Oval, presidente dos EUA, Barack Obama, fala ao telefone com diretor do FBI, Robert Mueller, sobre as explosões em Boston (15/04). Foto: Casa Branca/Governo dos EUA/Mulher conforta outra aparentemente ferida após explosões na maratona de Boston, EUA (15/04). Foto: ReutersMédicos auxiliam feridos após explosões atingirem maratona de Boston, nos EUA (15/04). Foto: APMédicos auxiliam feridos na linha de chegada da maratona de Boston após explosões (15/04). Foto: APReprodução da TV WBZ mostra fumaça decorrente das explosões que atingiram maratona de Boston, nos EUA (15/04). Foto: APMédicos ajudam feridos após explosões perto da linha de chegada da maratona de Boston, EUA (15/04). Foto: AP

Fumaça subiu das explosões, envolvendo as bandeiras nacionais vistas ao longo do percurso de uma das maratonas mais antigas e mais prestigiosas do mundo. Cerca de 23 mil corredores participaram da competição, que atrai mais de 500 mil espectadores no Dia dos Patriotas, um feriado de Massachusetts que celebra as primeiras batalhas da Revolução Americana, em 1775.

As autoridades em Nova York, São Francisco, Los Angeles, Washington D.C. e em Londres aumentaram as medidas de segurança depois das explosões. O porta-voz chefe da polícia de Nova York, Paul Browne, informou que equipes de resposta crítica foram posicionadas ao redor da cidade até que haja mais informações sobre o ataque em Boston. A segurança também foi elevada em hotéis e áreas sensíveis. A polícia britânica afirmou estão sob revisão os planos para a Maratona de Londres, no domingo.

Assista ao vídeo do momento posterior à explosão:

De acordo com a Casa Branca, o governo mantém contato com autoridades estaduais e locais, e o líder americano ordenou que seja oferecida a assistência necessária para a investigação e em resposta ao incidente.

O vice-presidente Joe Biden estava em uma reunião por telefone com ativistas do controle de armas quando membros de sua equipe ligaram a TV em seu escritório nesta segunda-feira para assistir à cobertura do caso. "Aparentemente foi um ataque", disse Biden. "Não sei os detalhes do que causou isso, ou quem. Acho que ainda não há essa informação. Mas nossas preces estão com as vítimas em Boston."

Veja mapa com local das explosões:

Com AP

Leia tudo sobre: bostoneuamaratona de bostonmaratonaataque em boston

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas