Papa Francisco pede 'determinação' contra casos de abusos sexuais na Igreja

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

É a primeira vez que pontífice recém-eleito fala sobre escândalos de pedofilia envolvendo clérigos; papa Francisco citou medidas para proteger os menores e ajudar as vítimas

O papa Francisco indicou nesta sexta-feira (5) que fará com que a Igreja Católica atue "com determinação" contra casos de abusos sexuais envolvendo clérigos. O pontífice pressionou por uma ação decisiva durante encontro com o prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé, bispo Gerhard Ludwig Mueller, informou o Vaticano em comunicado.

Relembre: Papado de Bento 16 foi marcado por escândalos e polêmicas

Análise 1: Futuro papa terá de 'purificar' Igreja Católica antes de adotar agenda positiva

AP
Papa Francisco gesticula enquanto faz seu discurso na audiência geral semanal na Praça São Pedro, Vaticano (3/4)

Análise 2: Conservadorismo de Bento 16 e João Paulo 2º deve ser mantido por futuro papa

"O Santo Padre recomendou que a congregação continue na linha perseguida por Bento 16, para agir com determinação no que diz respeito aos casos de abuso sexual", disse o Vaticano.

Francisco citou medidas para proteger os menores, ajudar vítimas da violência sexual e criar medidas contra os agressores, e enfatizou que a elaboração e aplicação das diretrizes pelas conferências de bispos em todo mundo é importante para a credibilidade da Igreja.

Leia mais: Principal cardeal britânico renuncia em meio a alegações de abusos

Desafios: Novo papa vai liderar Igreja ameaçada por escândalos e avanço protestante

Essa foi a primeira vez que o papa argentino faz um comunicado público sobre abusos sexuais envolvendo clérigos. Ele foi eleito no mês passado, substituindo o papa emérito Bento 16, que se tornou o primeiro pontífice a renunciar em cerca de 600 anos.

Quando eleito, Bento 16 prometeu livrar a Igreja da "sujeira" do abuso clerical, mas críticos o acusam de ter acobertado casos de assédio no passado e ter falhado em proteger crianças de padres pedófilos. Vítimas de abusos sexuais exigiram uma forte resposta do novo papa sobre a crise.

Com AP e BBC

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas