Coreia do Norte diz que colocou tropas em posição de combate contra os EUA

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Coreia do Sul diz não ter detectado sinais de atividades incomuns no país vizinho; Pyongyang tem feito ameaças com frequência desde que a ONU aprovou nova rodada de sanções

A Coreia do Norte disse nesta terça-feira (26) que seus foguetes estratégicos e unidades de artilharia de longo alcance foram colocados em "posição de combate" mirando as bases militares dos EUA em Guam, no Havaí e no continente americano.

Quinta: Coreia do Norte ameaça base dos EUA no Pacífico

O anúncio, divulgado pela agência de notícias KCNA, segue dias de forte retórica por parte de Pyongyang. Também coincide com o terceiro aniversário do naufrágio do navio de guerra Cheonan, que deixou 46 marinheiros mortos.

AP
Presidente Park Geun-hye faz discurso no 3º aniversário do naufrágio do navio de guerra sul-coreano Cheonan, no cemitério em Daejeon

Assista: Coreia do Norte divulga vídeo com simulação de 'ataque' aos EUA

A Coreia do Sul disse que não detectou sinais de atividades incomuns na Coreia do Norte. 

As tensões continuam fortes na Península Coreana desde o terceiro teste nuclear realizado por Pyongyang em 12 de fevereiro. O teste provocou a aprovação de uma nova rodada de sanções na ONU, que Pyongyang rejeita fortemente.

Reação: Coreia do Norte rejeita sanções da ONU e China pede diálogo 

Exercícios militares conjuntos entre os EUA e a Coreia do Sul deixaram a nação comunista furiosa. Nas últimas semanas, o país tem subido o tom de suas ameaças - dizendo que faria um ataque nuclear preventivo contra os EUA, bem como ataques nas bases americanas no Japão.

"A partir deste momento, o Comando Supremo do Exército Popular da Coreia colocará em postura de combate número 1 todas as unidades de campo, incluindo unidades de artilharia de campo de longo alcance, unidades de foguetes estratégicos, que terão como alvo todos os objetos inimigos em bases dos EUA em seu continente, no Havaí e em Guam", disse a KCNA.

Decisão: EUA reforçarão defesa de mísseis contra a Coreia do Norte

Acredita-se que a Coreia do Norte não tem a capacidade tecnológica para promover um ataque contra o continente americano com uma arma nuclear ou com um míssil balístico, mas é capaz de atingir bases militares americanas na região com seus mísseis de médio alcance.

O anúncio ocorreu logo após a presidente sul-coreana, Park Geun-hye, pedir à Coreia do Norte que "mudasse o curso" abandonando suas armas nucleares. Falando de um cemitério em Daejeon, onde os marinheiros que morreram no naufrágio foram enterrados, Park disse que a Coreia do Norte continuava a ameaçar a segurança nacional de seu país.

Após ameaças: Coreia do Norte não pode cancelar armistício, diz Seul

"Para o Norte, o único caminho para a sobrevivência é parar com as provocações e ameaças, abandonar suas armas nucleares e mísseis e se tornar um membro responsável na comunidade internacional", disse.

Com BBC e Reuters

Leia tudo sobre: coreia do nortecoreia do suleua

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas