Maduro assume interinamente; Venezuela convoca nova eleição em 30 dias

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Corpo de presidente venezuelano será exposto a partidários a partir de amanhã em Academia Militar de Caracas; luto de sete dias é decretado no país

O vice-presidente venezuelano, Nicolás Maduro, assumirá o comando do país interinamente depois da morte do líder Hugo Chávez, enquanto se convocam eleições para os próximos 30 dias, disse nesta terça-feira o chanceler Elías Jaua.

Obituário: Morre aos 58 anos Hugo Chávez, presidente da Venezuela

AP
Partidários de Hugo Chávez seguram cartaz em que se leem 'Sejamos como Chávez' e 'Proibido esquecer' durante homenagem a líder venezuelano, morto nesta terça, em Caracas

Chanceler da Venezuela: Cerimônia fúnebre de Chávez será sexta

Luto: Vice pede união, e venezuelanos choram e lamentam morte de Chávez

"Está muito claramente estabelecido o que acontece, e o que sempre defendemos, agora que se produziu uma ausência absoluta, assume o vice-presidente da República como presidente e se convocam novas eleições nos próximos 30 dias", disse Jaua em comentários televisionados, não deixando claro se a votação ocorre daqui 30 dias, como previsto pela Constituição.

Antes de viajar a Cuba em dezembro para ser submetido à quarta cirurgia relativa a um câncer, Chávez designou Maduro como seu potencial sucessor e candidato governista em caso de novas eleições. O candidato derrotado por Chávez em outubro, o governador do Estado de Miranda, Henrique Capriles, poderia ser o representante da oposição.

De acordo com a Constituição do país, porém, quem deveria governar interinamente no período da eleição até a posse do novo presidente eleito seria o presidente da Assembleia Nacional venezuelana, Diosdado Cabello.

Governo: Saiba mais sobre o círculo de poder chavista

AP
Partidários do presidente Hugo Chávez choram enquanto seguram cartazes em que se lê 'Eu sou Chávez' durante homenagem a líder venezuelano na Praça Bolívar, Caracas

Cronologia 1: Chávez e sua luta contra o câncer

Cronologia 2: Veja os principais momentos da trajetória política de Hugo Chávez

Pouco antes do anúncio da nova votação, Jaua anunciou que a cerimônia fúnebre de Chávez será na sexta na Academia Militar de Caracas na presença dos chefes de Estado da região. O chanceler, que garantiu que o país está em normalidade após o anúncio da morte de Chávez, disse que foi decretado luto nacional de sete dias e que as aulas em todos os níveis foram suspensas pelo resto da semana.

O corpo de Chávez será levado na quarta à Academia Militar e será exposto a seus simpatizantes. O local do sepultamento ainda não foi definido.

Anúncio da morte

Com voz embargada e lágrimas escorrendo em seu rosto por diversas vezes, Maduro anunciou a morte do presidente "após uma dura batalha contra uma doença por quase dois anos" em um pronunciamento à TV. Ele não especificou a causa da morte, embora o governo tenha dito na noite anterior que uma nova e severa infecção respiratória havia enfraquecido Chávez.

Reações:
- 'Morreu um grande latino-americano', diz Dilma sobre Hugo Chávez
- Chávez continuará 'iluminando o futuro da Venezuela’, diz Lula sobre morte
- Após morte de Chávez, Obama diz buscar 'relação construtiva' com Venezuela

Ao anunciar a morte, Maduro conclamou os venezuelanos a serem "herdeiros dignos do homem gigante" que Chávez era. "Que não haja nenhuma fraqueza, nenhuma violência. Que não haja ódio. Em nossos corações deve haver apenas um sentimento. Amor. Amor, paz e disciplina."

"Aqueles que nunca apoiaram o comandante Hugo Chávez, respeitem a dor da população. Este é o momento de pensar em nossas famílias, em nosso país."

Veja imagens da trajetória de Chávez:

Governo da Venezuela divulga fotos de Chávez ao lado de suas filhas em fevereiro de 2013. Foto: DivulgaçãoChávez manda beijo antes de embarcar em direção a Havana para nova cirurgia em dezembro de 2012. Foto: APChávez anuncia nova cirurgia contra câncer e indica Nicolás Maduro como seu sucessor em dezembro de 2012. Foto: APO presidente da Venezuela, Hugo Chávez, comemora reeleição em outubro de 2012. Foto: ReutersLíderes do Mercosul se reúnem para selar adesão da Venezuela ao bloco em julho de 2012. Foto: Alan Sampaio / iG BrasíliaHugo Chávez usa binóculos dados por vice-premiê bielo-russo, Vladimir Semashko, em Caracas, em junho de 2012. Foto: APEm abril de 2012, Chávez parte novamente para Cuba ao lado da filha Rosa Virgínia. Foto: APApós nova cirurgia, Chávez retorna à Venezuela em ritmo de campanha em março de 2012. Foto: APPresidente da Venezuela Hugo Chávez conversa com o ator Sean Penn que visitou o palácio presidencial em Caracas, Venezuela, em fevereiro de 2012. Foto: APHugo Chávez e sua filha Rosa embarca em avião em direção a Cuba em outubro de 2011 para o presidente fazer exames. Foto: APChávez coloca 'chapéu da cura' oferecido por índia durante cerimônia em Caracas em setembro de 2011. Foto: APEm setembro de 2009, Hugo Chávez jogou softball antes de conceder coletiva. Foto: ReutersChávez dança com sua filha na varanda do palácio presidencial em julho de 2011. Foto: AFP PHOTOEm julho de 2011, Chávez cumprimenta partidários em cerimônia em Caracas. Foto: AFPChávez participa de missa por sua saúde em Caracas em julho de 2011. Foto: APChávez saúda partidários em Caracas depois de retornar de sua primeira cirurgia após descoberta do câncer em julho de 2011. Foto: APDilma Rousseff e Hugo Chávez conversam durante cerimônia de posse da presidente em janeiro de 2011. Foto: AEChávez cumprimenta Cristina Kirchner durante velório de Néstor Kirchner em outubro de 2010. Foto: APChávez se encontra com ex-jogador de futebol argentino Diego Maradona no Palácio de Miraflores, em Caracas, em julho de 2010. Foto: APPresidente da Síria, Bashar al-Assad, tem reunião com Hugo Chávez em junho de 2010. Foto: ReutersChávez e Vladimir Putin passam por tropas durante cerimônia em Caracas em abril de 2010. Foto: APHugo Chávez, presidente da Venezuela, na Conferência Mundial sobre as Alterações Climáticas e os Direitos da Mãe Terra, em abril de 2010. Foto: APPresidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, e Chávez se encontram em Caracas em novembro de 2009. Foto: APEm outubro de 2009, o então presidente brasileiro Lula visitou Chávez em Caracas. Foto: AEEm setembro de 2009, Chávez encontra o cineasta Michael Moore no Festival de Veneza. Foto: AFPEm abril de 2009, na Cúpula das Américas, Obama troca um breve cumprimento com Chávez. Foto: APChávez conversa com o líder cubano Raúl Castro no encontro da ALBA, em Cumana, em fevereiro de 2009. Foto: ReutersFoto divulgada pelo jornal cubano Granma mostra Fidel Castro e Hugo Chávez de mãos dadas enquanto líder cubano se recuperava de cirurgia em agosto de 2006. Foto: APFidel participa de evento ao lado do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, em fevereiro de 2006. Foto: APFoto divulgada pelo Palácio de Miraflores mostra Chávez ao lado do então líder líbio, Muamar Kadafi, morto em 2011, em Trípoli, em novembro de 2004. Foto: APChávez e sua então mulher Marisabel posam para foto ao lado da filha Rosa durante parada pelo Dia das Crianças em Caracas, em 2001. Foto: APEm foto sem data, Chávez posa com seus companheiros do fracassado golpe de 1992 enquanto estavam presos na cadeia Yare II, perto de Caracas. Foto: APEm foto sem data divulgada pelo Palácio de Miraflores, Hugo Chávez em seu tempo de serviço militar. Foto: APFoto sem data divulgada pelo Palácio de Miraflores mostra Hugo Chávez em uma foto familiar em Barinas, Venezuela. Foto: APFoto sem data divulgada pelo Palácio de Miraflores mostra Hugo Chávez (dir.) ao lado do irmão, Adan Chávez. Foto: AP

A morte de Chávez põe fim a um governo de 14 anos e deixa um movimento político socialista em controle da nação apesar da doença de Chávez tê-lo impedido de assumir seu quarto mandato em 10 de janeiro após sua reeleição em outubro.

Medida: Venezuela expulsa dois diplomatas dos EUA em meio à piora da saúde de Chávez

Horas antes de anunciar a morte de Chávez, Maduro fez um discurso inflamado contra inimigos que, alegou, tentavam minar a democracia venezuelana. Nesse pronunciamento, Maduro anunciou que a Venezuela ordenou a expulsão de dois adidos aeronáuticos dos EUA sob a acusação de conspirar para desestabilizar o país e também afirmou que havia pistas de que a doença de Chávez havia sido causada por "inimigos históricos da pátria".

Em mostra de coesão, o ministro da Defesa da Venezuela também apareceu na televisão para anunciar que o Exército continuará leal à Constituição e a Maduro após a morte de Chávez.

*Com AP e Reuters

Leia tudo sobre: venezuelacâncer de chávezchávezmaduro

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas