Saiba mais sobre o círculo de poder chavista

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Principais figuras em torno de Chávez devem levar legado do presidente adiante; vice Nicolás Maduro foi apontado pelo presidente como potencial sucessor

Com a morte do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, vítima de câncer, o futuro do chavismo fica nas mãos dos principais integrantes do círculo próximo ao líder venezuelano. 

Leia também: Morre aos 58 anos Hugo Chávez, presidente da Venezuela

Saiba mais sobre as principais figuras em torno de Chávez:

Nicolás Maduro, o vice-presidente: Um dos mais visíveis e resilientes líderes do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV). Era motorista de ônibus e líder sindicalista anos atrás. Mostrou possuir tino político como presidente da Assembleia Nacional e foi ministro das Relações Exteriores de 2006 a 2012, quando foi indicado como vice. Chávez apontou Maduro como seu sucessor antes da sua última cirurgia.

AP
Nicolás Maduro acena ao lado do presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Diosdado Cabello (28/02/13)

Diosdado Cabello, ex-autoridade do Exército que participou da tentativa de golpe em 1992 liderada por Chávez: Foi governador do Estado de Miranda entre 2004 e 2008, mas não conquistou a reeleição. Também foi vice-presidente do país. Foi nomeado presidente da Assembleia Nacional em janeiro de 2012, pois, segundo Chávez, possuía apoio dentro de seu partido

Adan Chávez, irmão mais velho do presidente: Ex-professor de Física de uma universidade. Foi embaixador de Venezuela para Cuba antes que o presidente o indicasse em 2006 como ministro da presidência. Foi ministro da Educação entre 2007 e 2008, e depois foi eleito governador de seu Estado de origem, Barinas

Especial do iG em 2012:
Característica: 'Missões' imprimem caráter assistencial a governo Chávez
Prejuízo: Política econômica chavista mina produção e afasta investimentos
Vantagens: Programas sociais e oposição fraca garantiram popularidade de Chávez

Rafael Ramirez, ministro do Petróleo e presidente da companhia Petroleos de Venezuela SA: Era engenheiro mecânico. Foi nomeado ministro da Energia em julho de 2002. Teve um papel importante no que tange à indústria petrolífera

Elías Jaua, ex-vice-presidente: Foi professor universitário. Se tornou ministro da Presidência e da Agricultura. Graduou-se em Sociologia pela Universidade Central da Venezuela antes de se envolver com política

Diego Molero, ministro da Defesa: Chávez o promoveu ao posto de almirante-chefe pouco antes de sua última cirurgia, em dezembro e 2012

Henry Rangel silva, ex-ministro da Defesa: Participou com Chávez da fracassada tentativa de golpe para derrubar o governo. Foi chefe da agência civil de inteligência do país sob o governo chavista e, em 2012, foi nomeado ministro da Defesa. Recebeu críticas da oposição por ter dito, em uma entrevista em 2010, que o Exército não aceitaria nem "uma hipotética oposição ao governo". Autoridades norte-americanas acusam Rangel de dar ajuda a rebeldes colombianos. Chávez descartou as alegações e afirmou que tinham motivação política

Maria Gabriela Chávez e Rosa Virgínia Chávez, filhas que ficaram ao lado do presidente: De seus quatro filhos, Maria e Rosa tiveram papéis importantes acompanhando o presidente divorciado nos eventos oficiais, embora raramente falarem em público. Maria teve um papel importante em 2002 durante um golpe que retirou Chávez brevemente do poder. Ela falou à televisão cubana que seu pai não havia renunciado e que estava detido por soldados. Rosa, a filha mais velha, casou com Jorge Arreaza, ministro de Ciência e Tecnologia do governo. As duas filhas ficaram ao lado de Chávez durante o seu tratamento contra o câncer

Com AP

Leia tudo sobre: venezuelachávezcâncer de chávezpresidentemaduro

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas