Em tratamento em Cuba, Chávez não participará de cúpula do Mercosul

Chanceler representará Venezuela em 1º encontro desde adesão do país ao bloco; líder venezuelano está há 9 dias em Havana por tratamento para combater efeitos de radioterapia

iG São Paulo | - Atualizada às

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez , não participará da cúpula do Mercosul em Brasília na sexta-feira após viajar a Cuba para um tratamento relacionado a um câncer, informaram nesta quinta-feira fontes do Ministério das Relações Exteriores do Brasil.

Reuters
Venezuelano passa por pôsteres do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, dias antes das eleições de outubro (02/10)

Viagem: Chávez chega a Cuba para novo tratamento médico

A presença de Chávez era aguardada para a reunião do bloco regional, e o presidente estava entusiasmado em participar do encontro, que será o primeiro da Venezuela como membro pleno do bloco regional desde sua  entrada no grupo .

A adesão da Venezuela, aprovada pelos presidentes do Mercosul em julho (com exceção do Paraguai, suspenso do bloco após a  destituição do ex-presidente Fernando Lugo ), é a primeira
ampliação do bloco desde que foi fundado em 1991 por Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai.

Já confirmaram presença na reunião os presidentes da Argentina, Cristina Kirchner, e Uruguai, José Mujica, assim como os chefes de Estado da Bolívia, Evo Morales, e Equador, Rafael Correa, associados ao bloco regional e que terão as entradas debatidas no encontro.

O cancelamento da visita de Chávez não foi confirmada oficialmente, mas uma fonte do Itamaraty disse à Reuters, sob condição de anonimato, que o presidente venezuelano não viajará ao Brasil.

Em Caracas, uma fonte no palácio presidencial também disse que Chávez, de 58 anos, não viajaria ao Brasil. Ele será representado pelo vice-presidente Nicolás Maduro, que deve chegar a Brasília na noite desta quinta-feira, segundo o Itamaraty.

A última vez que o presidente venezuelano é visto em público desde 15 de novembro, e no dia 27 viajou a Cuba para um tratamento de oxigenação hiperbárica - normalmente usado para tratar ossos enfraquecidos por radioterapia .

Em 10 de junho de 2011, Chávez se submeteu em Cuba a uma cirurgia de emergência para retirar um abscesso pélvico. Durante o procedimento, foi descoberto um câncer que o forçou a se submeter a uma segunda operação. Em 30 de junho do mesmo ano, ele veio a público para admitir que tinha um tumor, que, apesar de tratamento quimioterápico, voltou neste ano . Para combater a recaída, Chávez passou por sessões de radioterapia.

Saiba mais: Chávez anuncia conclusão da radioterapia e demonstra otimismo

Ao contrário do que ocorreu na maioria das viagens anteriores à ilha, não houve discurso de despedida antes de embarcar no avião, mensagens no Twitter ou fotografias na imprensa. Apenas um comunicado do jornal oficial cubano Granma foi publicado em sua chegada a Havana.

Agora são crescentes os rumores sobre uma piora no seu estado de saúde. Autoridades não deram detalhes sobre o estado de saúde de Chávez, que está em Cuba há nove dias.

Segundo o governo venezuelano, Chávez estará presente em 10 de janeiro para tomar posse para o novo mandato conquistado nas eleições de outubro e para expor perante o Parlamento o Plano da Nação 2013-2019. Com a reeleição, o líder venezuelano pode permanecer no poder até 2019, quando totalizaria 20 anos na presidência.

Com Reuters e AFP

    Leia tudo sobre: venezuelachávezcâncer de chávezcubamercosul

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG