Mulher de político chinês afastado é indiciada por assassinato

Gu Kailai, casada com Bo Xilai, é acusada de envenenar o empresário britânico Neil Heywood, encontrado morto em hotel em 2011

iG São Paulo | - Atualizada às

A mulher de Bo Xilai , político afastado do Partido Comunista Chinês, foi indiciada pelo assassinato de um empresário britânico, informou a agência oficial Xinhua nesta quinta-feira. Gu Kailai e um empregado da família, Zhang Xiaojun, também indiciado, são acusados de envenenar Neil Heywood, encontrado morto em um hotel em 15 de novembro de 2011.

Leia também: Intrigas do Partido Comunista da China são discutidas à beira-mar

AP
Bo Xilai e sua mulher, Gu Kailai, em foto de 2007

Inicialmente autoridades locais disseram que Heywood morreu após beber em excesso, mas em abril o governo anunciou que estava investigando o envolvimento de Gu no caso. Em março, Bo Xilai, até então um político em ascensão cotado para integrar o novo comitê central, foi afastado de seus cargos no Partido Comunista Chinês. Ele era a principal autoridade política na região de Chongqing, a mesma onde o empresário foi morto.

A queda de Bo começou quando o então chefe da polícia de Chongqing, Wang Lijun, procurou o consulado dos Estados Unidos para supostamente pedir asilo político após uma discussão com Bo sobre a investigação do caso Heywood. O caso ganhou repercussão e, aos poucos, ganhou novos desdobramentos até chegar às acusações contra Gu.

Leia também:  Mulher de Bo Xilai é vista como 'Jackie Kennedy da China'

De acordo com a Xinhua, o indiciamento, que foi feito “recentemente”, diz que Gu teve uma discussão com o empresário e passou a temer que ele representasse uma ameaça a ela e a seu filho.

Há muita especulação na China sobre qual seria a natureza do relacionamento do britânico com a família chinesa. Em abril, a agência de notícias estatal Xinhua afirmou que Gu tinha ''interesses econômicos'' com Heywood.

Gu, que é a segunda mulher de Bo, estudou Direito na conceituada Universidade de Pequim antes de abrir o seu próprio escritório de advocacia.  Segundo uma fonte próxima à família, Gu, que tem cerca de 52 anos, encerrou as atividades de sua firma quando seu marido se tornou dirigente do Partido Comunista de Chongqing, de modo a não dar a impressão de que ela estava tentando se beneficiar de sua posição.

''Ela fechou sua empresa justamente quando estava crescendo e ficando bem empolgante para ela'', afirmou o amigo da família que não quer se identificar. Ele também a descreveu como sendo uma mulher de saúde de estado frágil nos últimos anos e que raramente saía de sua casa em Chongqing. ''Ela ficava em casa lendo'', afirmou.

Assim como seu marido, Gu é um filha de um ex-dirigente chinês. Seu pai era um destacado revolucionário antes de os comunistas terem chegado ao poder.

Bo ocupou vários cargos quando o Partido Comunista assumiu o poder na China, mas, assim como vários outros, foi parar na prisão durante a Revolução Cultural, um caótico período de reviravoltas políticas no país.

Quando a Revolução Cultural estourou, Gu era apenas uma jovem, mas ela também sofreu com o movimento, tendo sido forçada a trabalhar em um açougue e em uma fábrica têxtil.

Ela conheceu Bo Xilai em 1984, quando ele era o secretário do Partido Comunista no condado de Jin, na província de Liaoning. O filho do casal,  Bo Guagua , frequentou a escola de elite britânica Harrow, antes de cursar a Universidade de Oxford. Ele agora estuda na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

Com AP e BBC

    Leia tudo sobre: chinabo xilaigu kailaipartido comunista chinês

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG