Ataques separados foram lançados por homem-bomba e atiradores no centro e nordeste do país; seita islamita Boko Haram reivindicou ações

Um homem-bomba se explodiu fora de uma igreja na cidade nigeriana de Jos neste domingo, enquanto homens armados atacaram uma igreja no nordeste do país, deixando ao menos seis mortos e dezenas de feridos nos mais recentes ataques contra cristãos em uma nação cada vez mais dividida pela fé, disseram autoridades e testemunhas. Uma seita radical islamita conhecida como  Boko Haram reivindicou os ataques.

Violência: Mortos em ataque a mercado de gado na Nigéria chegam a 60

Líder do Boko Haram, Abubakar Shekau, desafiou presidente da Nigéria em vídeo divulgado em janeiro
AP
Líder do Boko Haram, Abubakar Shekau, desafiou presidente da Nigéria em vídeo divulgado em janeiro

Relatório:  Boko Haram deixou quase mil mortos desde 2009

O primeiro atentado teve como alvo um templo em Khos (centro). O segundo ataque foi cometido por homens armados contra uma igreja da cidade de Biu (nordeste). "Vários homens armados atacaram a igreja durante o serviço religioso", disse o presidente da Associação Cristã de Biu, Samson Bukar.

"Somos responsáveis pelo ataque suicida contra uma igreja em Jos e por outro ataque contra uma igreja em Biu", afirmou um porta-voz do Boko Haram.

O grupo islamita Boko Haram cometeu desde meados de 2009 atentados contra autoridades governamentais, contra as forças de segurança e as minorias cristãs nas cidades do norte, de maioria muçulmana.

A cidade de Jos, capital do Estado de Plateau, é um dos principais alvos do movimento Boko Haram por ficar na fronteira entre o norte e o sul da Nigéria e ter uma população dividida entre as duas religiões.

Entre as ações mais sangrentas do Boko Haram, estão os ataques contra igrejas cristãs durante o Natal de 2011 e a Semana Santa de 2012, que deixaram dezenas de mortos.

*Com AP, AFP e EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.