Abi Yahya al-Libi, um dos principais estrategistas da rede terrorista, estava em casa destruída  por aeronave não tripulada na região tribal no noroeste do país

Uma autoridade dos EUA disse nesta terça-feira que o ataque de um avião não tripulado dos EUA na região tribal do noroeste do Paquistão matou o número 2 da rede terrorista Al-Qaeda, Abu Yahya al-Libi, em um golpe significativo contra um grupo que perdeu vários líderes importantes desde a morte de Osama bin Laden no ano passado.

Obama: Morte de Bin Laden foi dia mais importante de minha presidência

Imagem de vídeo mostra Abu Yahia Al-Libi, que foi morto em ataque dos EUA (25/03/2007)
AP
Imagem de vídeo mostra Abu Yahia Al-Libi, que foi morto em ataque dos EUA (25/03/2007)

Nascido na Líbia, al-Libi era considerado um especialista em mídia, um líder carismático que escapou de uma prisão americana no Afeganistão e ajudou a levar adiante a transformação da Al-Qaeda em um movimento terrorista cujo objetivo era conquistar partidários em todo o mundo.

A autoridade dos EUA, que falou sob condição de anonimato pelo fato de abordar questões de inteligência, diz não haver ninguém na Al-Qaeda com o conhecimento necessário para substituir al-Libi, um dos principais estrategistas do grupo e considerado a figura mais importante da organização depois do líder Ayman Al-Zawahri .

Al-Libi é o mais recente de mais de uma dezena de comandantes graduados mortos na guerra clandestina dos EUA contra a Al-Qaeda desde que operativos Seals mataram Osama bin Ladenpouco mais de um ano . Al-Libi, que foi morto em um ataque lançado na manhã de segunda-feira, subiu para o posto de número 2 do grupo quando Zawahri sucedeu a bin Laden .

O ataque foi lançado na segunda-feira no vilarejo de Khassu Khel, região tribal do Waziristão do Norte e, segundo autoridades paquistanesas, deixou um total de oito militantes mortos. Segundo essas fontes, moradores da região disseram que al-Libi estava na casa quando o ataque aconteceu. A residência ficou completamente destruída, bem como um veículo usado pelo terrorista.

O governo americano oferecia US$ 1 milhão por informações que levassem à captura de al-Libi, cujo nome real seria Mohamed Hassan Qaid e era encarregado de liderar as operações da Al-Qaeda em regiões tribais paquistanesas e de coordenar a ação das afiliadas regionais da rede. Ele também filmou vários vídeos de propaganda conclamando ataques contra alvos americanos.

Antes da confirmação de sua morte, Sajjan Gohel, presidente da consultoria do setor de segurança Fundação Ásia-Pacífico, disse que al-Libi era uma das poucas figuras proeminentes ainda da Al-Qaeda atualmente.

"Libi está no centro dos planos da Al-Qaeda de se reconstruir e tentar remontar sua campanha internacional de terror. Essa é uma das razões pela qual ele é visto como um alvo de alto valor", disse Gohel.

Poucos detalhes são conhecidos sobre as operações da CIA (Agência de Inteligência Americana) com aviões não tripulados, cujos alvos são principalmente militantes da Al-Qaeda e da milícia islâmica do Taleban na região de fronteira entre Paquistão e Afeganistão. O governo paquistanês condena o uso das aeronaves, dizendo que muitos ataques causam mortes de civis.

*Com Reuters e AP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.