Polícia dispersa protesto contra presidente da Rússia

Após serem retirados de parque no centro de Moscou, manifestantes começam a se reunir em praça em novo ato contra Putin

iG São Paulo |

A polícia da Rússia dispersou manifestantes que acampavam em um parque no centro de Moscou em protesto contra o presidente Vladimir Putin, detendo pelo menos 20 ativistas. Os organizadores da manifestação conclamaram uma mudança de local e a polícia não interferiu quando dezenas começaram a se reunir em uma praça da cidade.

Leia também: Manifestantes testam a polícia em passeata em Moscou

AP
Manifestantes retirados de acampamento em parque dão início a novo protesto em praça de Moscou

Por volta de 5h30 de quarta-feira (22h30 de terça-feira em Brasília), policiais invadiram o local ordenando que as cerca de 50 pessoas que pernoitavam no local fossem embora, conforme estabelecia um mandado de reintegração de posse expedido na terça-feira pela Justiça a pedido de três moradores da vizinhança que reclamaram da bagunça. Líderes do protesto acusaram a polícia de estar por trás da queixa.

"As pessoas estavam prontas para pegar suas coisas e sair, mas não nos deram tempo, começaram a nos empurrar para fora", disse a jovem manifestante Alisa Obraztsova.

O pequeno parque ficou repleto de caixas de papelão, colchonetes, cadeiras de plástico e outros pertences. O número de manifestantes no acampamento variou bastante, ficando em algumas dezenas durante a noite e chegando a dois mil nos momentos de pico.

O desmantelamento do acampamento foi mais um capítulo na onda de repressão governamental a protestos contra a volta de Putin à presidência. Depois de oito anos como presidente e quatro como primeiro-ministro, ele tomou posse no dia 7 para um novo mandato de seis anos.

No domingo, cerca de 10 mil manifestantes participaram de uma passeata pelo centro de Moscou para testar a tolerância do Estado , uma semana depois de manifestantes serem agredidos e dispersos em protestos contra o regresso de Putin à presidência.

Com poucos policiais nas ruas, os manifestantes se reuniram diante da estátua do reverenciado poeta Alexander Pushkin e caminharam em direção a um acampamento, um protesto de 24 horas, a dois quilômetros de distância. A polícia não interferiu.

Apesar de denúncias de fraudes feitas por observadores internacionais, Putin foi declarado vencedor da eleição presidencial com 64% dos votos. A oposição e os manifestantes não reconhecem a legitimidade do resultado oficial.

Com AP e Reuters

    Leia tudo sobre: eleição na rússiaputinrússiamoscourússia unida

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG