Um a cada oito prêmios da Mega-Sena sai para bolões

Por Clarice Sá

compartilhe

Tamanho do texto

Maior prêmio desde outubro de 2012 foi de R$ 56 milhões e o mais baixo, R$ 1,3 milhão. Aposta mínima em grupo custa R$ 10 e é alternativa para quem quer aumentar chances de ganhar

Alternativa para apostadores que querem aumentar as chances de ganhar, os bolões regulamentados pela Caixa Econômica Federal (CEF) renderam prêmios em um a cada oito sorteios da Mega-Sena, em média, desde que a modalidade foi criada, em outubro de 2012, até o fim de fevereiro deste ano, de acordo com a CEF.

Leia também:

Bolão ajuda a aumentar chances de ganhar
Bolões encalhados da Mega-Sena viram aposta de donos de lotéricas

AE
Bilhete da Mega-Sena

Foram seis apostas que faturaram, ao todo, R$ 133.912.633,47. O maior prêmio saiu na Mega da Virada do ano passado. O bolão dividiu com outras três apostas a maior bolada do ano, de R$ 224 milhões. Cada uma teve direito a R$ 56 milhões.

O valor faturado no bolão foi distribuído entre 20 funcionários de um hospital de Teofilândia, município baiano de cerca de 23 mil habitantes. 

A menor quantia foi de R$ 1,3 milhão, que saiu em 2012 para um bolão de 14 cotas.

Especial: Todas as notícias sobre Mega-Sena

Relembre crimes relacionados à Mega-Sena:

Adriana Almeida ficou conhecida por viúva da Mega-Sena. Foto: Agência O GloboAdriana Almeida, viúva de Renné Senna, foi inocentada após seis dias de julgamento de repercussão nacional. Foto: Roberto Moreyra / Agência O GloboRenné Sena estava bebendo com amigos em um bar de Rio Bonito quando foi assassinado. Foto: Arte iGDois homens chegaram a bordo de uma moto e dispararam contra o milionário. Foto: Arte iGReconstituição de assassinato de ganhador da Mega-Sena. Segundo denúncia do MP, crime foi encomendado pela mulher da vítima, Adriana Ferreira de Almeida. Foto: Arte iGCasa do ganhador da Mega-Sena que foi assassinado em 2007. Foto: Ricardo Galhardo, iG São PauloMárcio Xavier de Lima, em nome de quem foi aberta conta para receber falso prêmio da Mega-Sena. Ele é suspeito de envolvimento em desvio de R$ 73 milhões  . Foto: ReproduçãoGerente-geral da agência da Caixa em Tocantinópolis, Robson Pereira do Nascimento, foi detido no fim de 2013 sob suspeita de envolvimento no desvio de R$ 73 milhões da Mega-Sena. Foto: ReproduçãoFilho do suplente de deputado Ernesto Vieira Carvalho Neto diz estar  "jogando dinheiro fora". Pai é suspeito de desviar R$ 73 milhões da Caixa. Foto: ReproduçãoO suplente de deputado federal Ernesto Vieira Carvalho Neto (PMDB-MA) foi preso em 19/1/2014 sob suspeita de ser o mentor de fraude contra a Caixa. Foto: Reprodução/TV AnhangueraAvião que, segundo a PF, foi comprado pelo suplente de deputado federal Ernesto Vieira Carvalho Neto (PMDB-MA) com dinheiro de desfalque na Mega-Sena. Foto: Reprodução/TV AnhangueraFilho (à esq.) forja sequestro para embolsar parte de prêmio da Mega-Sena da Virada da mãe com a ajuda de comparsa (à dir.). Foto: DivulgaçãoPoliciais libertam em dezembro de 2013 um ganhador de um dos prêmios da Mega-Sena. Foto: Futura Press

A aposta em bolão tem no mínimo duas e no máximo, cem cotas. Cada uma a partir de R$ 5. É possível também comprar cotas de bolões organizados pelas lotéricas, que têm direito a cobrar tarifa adicional de até 35% do valor da cota.

Para fazer o jogo, basta formar um grupo, escolher as dezenas, marcar o número de cotas e registrá-lo em qualquer lotérica. Quando a aposta é inserida no sistema, um recibo de cota é gerado para cada participante. Em caso de premiação, cada um pode resgatar individualmente sua parte do prêmio.

Leia tudo sobre: mega-senabolãobolõesaposta

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas