Manobra de Bruno falha e Dayanne será julgada com Bola

Ex-goleiro tenta destituir advogados mas juíza mantém um deles, Francisco Simim, para prosseguir julgamento

Carolina Garcia | - Atualizada às

Futura Press
Bruno, Dayanne Rodrigues e Macarrão acompanham o segundo dia de julgamento

O ex-goleiro Bruno Fernandes desistiu de ser defendido pelos seus advogados Rui Pimenta e Francisco Simim. O pedido foi feito pelo próprio réu a juíza Marixa Fabiane Lopes. Ao pedir a palavra, Bruno pediu desculpas a todos os presentes no plenário e disse precisar de um novo prazo para ser julgado. A princípio removeria apenas Pimenta, porém, como julgamento foi mantido, tentou remover Simim para causar o desmembramento do processo.

Saiba tudo sobre o julgamento do caso Bruno

Mais: Advogado destituído se compara a Neymar

Defesa: Novo advogado vai insistir na tese de que Eliza está viva

Segundo Bruno, em fala no salão do júri, a destituição de Simim se daria por ser o mesmo defensor de Dayanne - o que poderia causar constrangimento futuro nos trabalhos do júri. Momentos antes, ele havia pedido à magistrada que concedesse alguns minutos para conversar com a advogada Carla Silene, defesa de Fernanda, e Simim.

“Peço desculpas a todos no plenário. Mas, por estar me sentindo inseguro estou destituindo meu advogado”, disse Bruno quando removia Pimenta de sua defesa. Neste momento, o defensor arrumou seus pertences e deixou o plenário cumprimentando os colegas. À juíza foi explicado por Carla Silene que Bruno pediu sua defesa no julgamento. “Ele pediu para que eu o representasse e consultei a minha equipe. Não temos condições de assumir o caso dele, meritíssima.”

O promotor Henry Wagner Vasconcelos então se manifestou pedindo ‘à juíza considerar que Dayanne, como responde o processo em liberdade, poderia ser julgada em outra data. Após reunião com as partes, Marixa decidiu então manter o julgamento do ex-goleiro e dispensar Dayanne, que será julgada futuramente ao lado de Bola. Por isso, Francisco Simim permanece defendendo Bruno, que poderá contratar novos advogados ao longo do julgamento.

Reações

A decisão de Bruno causou surpresa em todos no salão do júri. No momento que seu nome foi citado, Dayanne e Fernanda não conseguiram conter o choro. Cada uma recebeu um copo com água de um assistente da defesa. Novamente de branco, a ex-mulher do goleiro foi colocada ao lado do réu principal e parecia se sentir mais confortável com a posição. Ela já não evitava contato visual com o ex-marido como ontem. Ao ser liberada pela magistrada, deixou o plenário aos prantos.

Macarrão participa de todos os trabalhos nesta terça-feira. Apático, é o réu que menos expressa reações neste júri. Ontem, ele pediu permissão para deixar o fórum, pois estava passando mal devido ao calor. Já Fernanda, hoje sentada ao lado do Macarrão, acompanha os trabalhos com uma Bíblia e um terço na mão. Como chorava muito, precisou ser levada ao banheiro por uma policial militar feminina.

    Leia tudo sobre: goleiro bruno

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG