Novidades no 1º escalão do Ministério da Educação são anunciadas

Mercadante troca quatro secretários e presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep)

iG São Paulo e Brasília |

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, confirmou nesta terça-feira o nome dos novos secretários da pasta. O titular modificou o comando de quatro das seis secretarias, além da presidência do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Primeiro problema: Mercadante diz que não vai tolerar desvios no Prouni

Amaro Henrique Pessoa Lins vai ocupar a Secretaria de Educação Superior (Sesu), no lugar de Luiz Cláudio Costa, já nomeado presidente do Inep , o órgão que é responsável pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) . Lins foi reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes).

Para a Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino (Sase) vai Arnóbio Marques de Almeida Junior. Na Secretaria de Educação Básica o indicado é o sociólogo César Callegari , que foi secretário municipal de Educação de Taboão da Serra (SP). O titular da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) será o doutor em ciência econômica Marco Antônio Oliveira.

Enem
Na tarde desta terça-feira, o ministro disse que o Enem será aprimorado até novembro. Durante a apresentação da nova equipe do ministério, a maior expectativa era em relação ao papel do novo presidente do Inep.

Luiz Cláudio da Costa assumirá o órgão com a tarefa de que novas falhas sejam evitadas na elaboração e aplicação do exame. O ministro Mercadante admitiu que “pode haver problemas”, mas garantiu que o Inep vai trabalhar para que as provas aplicadas em novembro sejam as “melhores possíveis”.

“Temos que aprimorar o Enem e é o que vem sendo feito. Nós vamos nos debruçar até novembro para fazer o melhor exame possível. Tivemos problemas na OAB (Exame da Ordem dos Advogados do Brasil), tivemos problemas no exame dos Estados Unidos e na China. Nós podemos ter problemas, mas vamos trabalhar para corrigir qualquer equívoco que ainda existe no Enem até novembro”, disse.

*Com Agência Brasil

    Leia tudo sobre: MECMercadanteInepsecretários

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG