Leitura de Plano Nacional com 8% do PIB para Educação gera protesto

Estudantes e deputados ligados a movimentos de defesa da área dizem que porcentual é insuficiente

iG São Paulo |

Após a leitura do Plano Nacional de Educação (PNE) aprovado por comissão especial que propõe 8% do Produto Interno Bruto (PIB) do País para a área, estudantes e deputados que defendiam 10% fazem protestos no Congresso. Para eles, o porcentual apontado pelo relator, deputado Angelo Vanhoni (PT-PR), é insuficiente.

AE
Alunos protestam durante leitura do relator do Plano Nacional de Educação na Câmara

O deputado Ivan Valente (Psol-SP) foi o mais enfático até o fim da tarde. “Esses 10% não são um número cabalístico. Atualmente, são 60 milhões de analfabetos, a maioria das crianças do País não estão em creches, não chegamos a 50% de presença no ensino médio. Além disso, o salário dos professores é baixo e a qualidade do ensino também. Se não investirmos forte em educação, continuaremos a patinar com os piores indicadores educacionais do planeta.”

A declaração foi feita durante reunião da comissão especial destinada a analisar o PNE, que ocorre desde às 14h30 no Plenário 10 da Câmara dos Deputados. 

Atualmente, o Brasil destina 5% do PIB para educação.

* com informações da Agência Câmara

    Leia tudo sobre: pneplano nacional de educação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG