Educador trabalha há 10 anos em escola de são Paulo com curso que discute a mídia e relata experiência e metodologia de ensino

Trabalhar a comunicação como forma de exercitar a criatividade, a expressão dos jovens e estimular a inovação. Esta é a proposta de um projeto de comunicação desenvolvido pelo jornalista Alexandre Le Voci Sayad há 10 anos no Colégio Bandeirantes, em São Paulo. A trajetória e a metodologia aplicada no curso, pelo qual passaram quase 200 alunos, estão relatadas no livro Idade Mídia – Comunicação reinventada na escola, que será lançado neste sábado (14). 

Leia também: Parcerias com universidades aproximam alunos de mundo acadêmico

Alexandre Sayad desenvolve projetos de comunicação com alunos do colégio Bandeirantes
Divulgação
Alexandre Sayad desenvolve projetos de comunicação com alunos do colégio Bandeirantes
O curso extracurricular mistura debates, discussões sobre a mídia, visitas a redações de veículos de comunicação, palestras de especialistas e consiste na elaboração de um projeto de comunicação feito pelos alunos, uma revista, fanzine, documentário ou jornal. “O Idade Mídia não é um curso, mas um projeto. A ideia é criar algo, desenvolver um produto”, conta Alexandre.

Quando o projeto surgiu, em 2002, a internet ainda não estava tão presente no cotidiano dos alunos, mas já dava sinais de que a produção e a publicação de conteúdos seriam facilitadas. “A gente já enxergava a comunicação com uma questão importante e queria formar advogados, médicos, publicitários, jornalistas, mas que soubessem se comunicar”, conta.

Apesar de não ter a pretensão de ser profissionalizante, muitos ex-alunos do curso extracurricular se tornaram jornalistas, publicitários ou atores. Depoimentos deles e de profissionais que colaboraram com o curso estão na obra, um misto de reportagem com pesquisa acadêmica sobre a relação entre educação e comunicação.

Entre os trabalhos produzidos nos últimos dez anos, Alexandre destaca a revista de 2008, que abordou São Paulo. Era ano de eleições municipais e o colégio realizou debates entre os alunos e os candidatos à Prefeitura da cidade – com exceção de Marta Suplicy (PT) que não aceitou o convite. “Eles pensaram São Paulo e fugiram totalmente do lugar comum. Mostraram a cultura de dança e como a arquitetura foi se modificando ao longo do tempo”, lembra o educador. Este e outros trabalhos podem ser acessados no blog do projeto.

Para Alexandre a escola precisa se tornar mais interessante e resgatar sua posição de local de aprendizado, perdida para games, amigos, internet e para a mídia. “A escola precisa ser um polo cultural, onde o jovem possa realizar e fazer coisas de seu interesse.” Ele pretende levar o Idade Mídia para outras escolas particulares e públicas.

Livro é misto de reportagem com pesquisa acadêmica sobre a relação entre educação e comunicação
Reprodução
Livro é misto de reportagem com pesquisa acadêmica sobre a relação entre educação e comunicação
Alexandre Le Voci Sayad é jornalista e educador, especializado em Direitos Humanos. Foi um dos fundadores da Cidade Escola Aprendiz, junto com o jornalista Gilberto Dimenstein, da Rede Andi e da Rede de Experiências em Comunicação, Educação e Participação (CEP), da qual é secretário-executivo. No Colégio Bandeirantes é coordenador dos programas Idade Mídia e Open City , em parceria com a Universidade de Harvard e o MIT.

Serviço

Idade Mídia – A comunicação reinventada na escola
Alexandre Le Voci Sayad
Editora Aleph
R$ 46
280 páginas

Lançamento: 14 de abril, sábado
Livraria da Vila Shopping Higienópolis

Avenida Higienópolis, 618 – São Paulo-SP
15h às 16h – Bate-papo com o autor e convidados (Gilberto Dimenstein, Sergio Rizzo e Mauro Aguiar)
16h às 18h – Autógrafos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.