Quase um terço dos universitários brasileiros é calouro

Dos 6,7 milhões de estudantes de graduação do País, 2,3 milhões começaram cursos no ano passado. Nas federais, ingressaram 308 mil calouros em 2011

Priscilla Borges - iG Brasília | - Atualizada às

O número de estudantes que ingressavam em cursos de graduação mais que dobrou na última década. Com isso, em 2011, um terço dos universitários do País era formado por calouros. Dos 6,7 milhões de estudantes de graduação, 2,3 milhões começaram cursos no ano passado.

Leia também: Número de matrículas em cursos de licenciatura fica estagnado em 2011

Em dois anos, a quantidade de ingressantes no ensino superior aumentou em 280 mil alunos. Em 2009, 2,06 milhões de estudantes iniciaram cursos de graduação. O maior crescimento ocorreu na rede pública: 16% a mais de calouros em dois anos, contra 13% da rede privada.

As federais tiveram o maior aumento: 20%. Em 2011, ingressaram nos cursos de graduação das universidades federais 308 mil novos alunos. Dois anos antes, a quantidade era de 253 mil. Os dados fazem parte do Censo da Educação Superior 2011, divulgado nesta terça-feira.

Censo: Crescimento no número de estudantes na graduação é mais lento em 2011

Se as contas para distribuição das cotas fossem feitas com base no censo do ano passado, as instituições federais teriam de receber, pelo menos, 38 mil cotistas em 2013. No entanto, a quantidade de vagas para o sistema de cotas para estudantes de escolas públicas, aprovado em agosto pela presidenta Dilma Rousseff, deve ser maior.

Além da ampliação de vagas em curso nas federais, muitas já adotavam programas próprios de ações afirmativas para egressos de escolas públicas. Levantamento obtido pelo iG mostra que, em 2010, 47.470 estudantes da rede pública garantiram vagas nas federais por cotas .

Análise da OCDE: Brasil investe pouco em ensino superior

De acordo com ministro da Educação, Aloizio Mercadante, o crescimento do número de ingressantes nas universidades mostra que o ensino superior está se expandindo. “O ensino público ainda está consolidando sua expansão, mas já há impacto nos dados”, afirmou.

Longo caminho

Para o sucesso da expansão do ensino superior ocorrer, é preciso garantir que os calouros cheguem ao fim de seus cursos. O Censo da Educação Superior não calcula quantos universitários abandonaram a graduação ainda, porque não é possível mensurar quanto tempo cada aluno passou no curso.

Em três anos, no entanto, técnicos do órgão acreditam que será possível acompanhar a trajetória de cada estudante no ensino superior por causa de uma mudança na metodologia de análise dos dados que considera as matrículas de cada aluno a partir de seu cadastro. Enquanto isso, os gestores comemoram a evolução no número de concluintes.

Mais Censo: Cursos de pós cresceram mais que os de graduação em 2011

Em 2010, 980 mil universitários terminaram a graduação. No ano passado, cerca de 40 mil estudantes a mais conseguiram o diploma universitário. É importante ressaltar que a idade de formatura desses alunos, porém, está longe da ideal.

Apenas 17,8% dos brasileiros entre 18 e 24 anos (considerada a faixa etária ideal para a etapa) frequentavam ou concluíram uma graduação em 2011. O percentual já é mais alto do que em 2004, quando 12,2% dessa população cursava o ensino superior.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG