Com covers manjadas, Limp Bizkit faz show apoiado em hits no Monsters of Rock

Por Susan Souza , iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

"Smells Like Teen Spirit" e "Killing in the Name" estiveram presentes na apresentação mais pop do primeiro dia

O que mais brilhou no show do Limp Bizkit no Monsters of Rock foi o figurino de led do performático guitarrista Wes Borland. Ainda que bem tocado e apoiado em hits como "My Way" e "Rollin' (Air Raid Vehicle)", respondidos com empolgação, o show mostrado em São Paulo neste sábado (19) foi camuflado por um exagerado número de covers e nenhuma ousadia.

Limp Bizkit toca no Monsters of Rock 2013. Foto: Divulgação/XYZ/MidioramaLimp Bizkit toca no Monsters of Rock 2013. Foto: Divulgação/XYZ/MidioramaLimp Bizkit toca no Monsters of Rock 2013. Foto: Divulgação/XYZ/MidioramaLimp Bizkit toca no Monsters of Rock 2013. Foto: Divulgação/XYZ/MidioramaLimp Bizkit toca no Monsters of Rock 2013. Foto: Divulgação/XYZ/MidioramaLimp Bizkit toca no Monsters of Rock 2013. Foto: Divulgação/XYZ/MidioramaLimp Bizkit toca no Monsters of Rock 2013. Foto: Divulgação/XYZ/MidioramaLimp Bizkit toca no Monsters of Rock 2013. Foto: Divulgação/XYZ/MidioramaLimp Bizkit toca no Monsters of Rock 2013. Foto: Divulgação/XYZ/MidioramaLimp Bizkit toca no Monsters of Rock 2013. Foto: Divulgação/XYZ/MidioramaLimp Bizkit toca no Monsters of Rock 2013. Foto: Divulgação/XYZ/MidioramaLimp Bizkit toca no Monsters of Rock 2013. Foto: Divulgação/XYZ/MidioramaLimp Bizkit toca no Monsters of Rock 2013. Foto: Divulgação/XYZ/Midiorama

A apresentação começou com "Thieves", cover de Ministry, e teve pontos altos calcados em mais músicas de outros artistas como as manjadas "Smells Like Teen Spirit", do Nirvana, e "Killing in the Name", do Rage Against the Machine. O grupo ainda tocou 'Faith", cover de George Michael, lançada no disco de estreia "Three Dollar Bill, Yall" (1997).

Vestindo uma camiseta estampada com o rosto do rapper brasileiro Sabotage, morto em 2003, um Fred Durst pouco agitado, ou como definiu alguém da plateia, "pregado no chão", caminhava pelo palco sem o mesmo vigor dos anos 1990 e começo dos 2000 - e terminou o show sem mencionar nada sobre a camiseta.

Representantes do nu metal com influência de rap, o Limp Bizkit não mostrou as músicas novas que estarão no próximo disco previsto para 2014. No setlist de 12 canções em uma hora de duração, pontos altos autorais ficaram com "My Generation", "Livin' It Up", "Take A Look Around" (faixa da trilha sonora do filme "Missão Impossível 2")" e "Break Stuff", que fechou o show.

Ao sair do palco, o grupo soltou a gravação de "Stayin' Alive", hit do Bee Gees, cortando o clima nu metal antes da entrada o Korn, atração que tocou em seguida. Já o fechamento da primeira noite de Monsters of Rock foi feito pelo Slipknot.

Neste primeiro dia ainda passaram pelo palco do Monsters os grupos Gojira, Hatebreed e Killswitch Engage. A banda Hellyeah cancelou participação alegando problemas internos, informa a produtora do evento.

O festival continua no domingo (20), na Arena Anhembi, pela primeira vez sendo realizado em duas datas. Receberá ainda os grupos Aerosmith, Whitesnake, Ratt, Buckcherry, Queensryche, Dokken, Dr. Sin, Doctor Pheabes e Electric Age.

Sobre o festival

O Monsters of Rock voltou ao Brasil após um hiato de 15 anos. Originalmente, foi criado na Inglaterra para contemplar o público fanático por bandas de hard rock e metal no começo dos anos 1980.

Realizado em vários países como Holanda, Espanha, Itália, Alemanha, Argentina Chile e na antiga União Soviética, criou uma marca de rock forte entre os anos 1980 e 1990.

O Brasil recebeu o evento quatro vezes, nos anos de 1994, 1995, 1996 e 1998, pelo qual passaram grupos como Suicidal Tendencies, Black Sabbath, Kiss, Faith No More, Alice Cooper, Skid Row, Iron Maiden, entre outros.

fotos: Stephan Solon

Leia tudo sobre: monsters of rocklimp bizkitshowmúsicaigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas