Madonna fala palavrão, defende minorias e agita 58 mil pessoas no Morumbi

Veja vídeo do momento em que a cantora discursa em São Paulo e diverte a plateia ao falar "cara***"

Juliana Moraes , iG São Paulo | - Atualizada às

Com pouco mais de 40 minutos de atraso, às 22h15, Madonna apresentou o segundo show no Brasil - e primeiro em São Paulo, no estádio do Morumbi -, na noite desta terça-feira (4). "E aí, São Paulo? Vocês estão prontos?", gritou a cantora ao subir ao palco, para as 58 mil pessoas presentes.

Seguindo o setlist, Madonna começou o show com "Girl Gone Wild", emendando em seguida "Revolver" e "Gang Bang". Interagindo com o público nos momentos certos e contagiando o estádio com os hits do CD "MDNA" (seu mais recente) e também com os antigos sucessos, a cantora - que intercalou músicas agitadas e românticas - também soube provocar o público: "São Paulo é melhor do que Rio de Janeiro?".

Crítica: "Sou periguete. Estou gostosa?", diz Madonna no Rio
Leia também: Rainha de bateria barrada; os bastidores de Madonna no Rio


A já não mais polêmica versão de "Express Yourself", na qual mistura com trechos da canção "Born This Way", de Lady Gaga, mostrou que os fãs gostam da competição entre as cantoras, pois em todos os setores do estádio ouviram-se os gritos calorosos.

Das várias tentativas de falar em português, a que mais impressionou foi quando Madonna falou repetidas vezes um palavrão: "caral***". Depois de fazer um discurso acalorado defendendo as minorias, Madonna pedia para que o público gritasse "fuck yeah" e, arrancando gritos e gargalhadas, voltava a dizer o palavrão aprendido em português.

No entanto, o sucesso "Like a Virgin" fez falta na performance em São Paulo. A música "Love Spent", que originalmente não fazia parte da "MDNA Tour", mas foi interpretada nas últimas apresentações, também ficou de fora.


Provando ser a rainha do pop, Madonna mostrou pique nas mais de duas horas de show - ela intercalou alguns playbacks com as músicas cantadas ao vivo, sem desafinar nem mostrar cansaço na voz. Durante "Erotic", a cantora foi mais contida e não beijou o namorado na boca, apesar da coreografia provocante. Já na hora do strip-tease, Madonna quebrou o protocolo e vestiu uma camiseta jogada ao palco por um fã. Aos gritos de gostosa, a popstar colocou a camiseta, mas não chegou a se chama de "periguete", como no Rio.

O show foi coroado com a bandeira do Brasil ao final da apresentação. Momentos antes, Madonna havia dito que o público brasileiro gostava de cantar e de dançar. Mas o estádio do Morumbi quase desmoronou mesmo com a interpretação da penúltima música, "Like a Prayer". Madonna se emocionou em meio ao coro de 58 mil pessoas pulando e gritando.

De acordo com a assessoria de imprensa do evento, não houve nenhum incidente grave, apenas desmaios. Foram disponibilizados 67 mil ingressos para a venda, dos quais 58 mil foram vendidos.

Veja o setlist:

"Girl Gone Wild"
"Revolver"
"Gang Bang"
"Papa Don't Preach"
"Hung Up"
"I Don't Give A"
"Express Yourself"
"Give Me All Your Luvin'"
"Turn Up the Radio"
"Open Your Heart"
"Sagarajo"
"Masterpiece"
"Vogue"
"The Erotic"
"Candy Shop"
"Human Nature"
"I'm Addicted"
"I'm a Sinner"
"Like a Prayer"
"Celebration"

    Leia tudo sobre: MadonnaSão PauloshowMorumbi

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG