Em novo filme, Laura Neiva "fala com os olhos"

Por Susan Souza |

compartilhe

Tamanho do texto

Atriz está em episódio do longa "Rio Eu Te Amo", no qual interpreta uma cadeirante que não tem nenhum diálogo

Divulgação
Cartaz de 'Rio, Eu Te Amo'

Nesta quinta-feira (11), estreia o episódio brasileiro da franquia de filmes "Cities of Love", que já retratou Paris e Nova York. Cada longa compila uma série de curtas assinados por diretores diferentes.

Em "Rio Eu Te Amo", Laura Neiva atua em "Texas", curta dirigido pelo mexicano Guillermo Arriaga.

"A história é quase que um respiro ao contrário", diz a atriz ao iG. "'Texas' é muito diferente dentro das histórias de 'Rio Eu Te Amo', ela tem um quê de humor negro que deixa as outras histórias mais leves, mas não menos profundas."

Em "Texas", um ex-lutador de boxe (Land Vieira) sofre um acidente de carro que o faz perder um braço e deixa sua mulher (Laura Neiva) impossibilitada de andar. Sentindo-se culpado, o lutador se envolve em lutas clandestinas para conseguir uma cirurgia que pode recuperar os movimentos da companheira.

Cenas de 'Texas', curta com Laura Neiva e Land Vieira que integra o longa 'Rio Eu Te Amo'. Foto: Reprodução/YoutubeCenas de 'Texas', curta com Laura Neiva e Land Vieira que integra o longa 'Rio Eu Te Amo'. Foto: Reprodução/YoutubeCenas de 'Texas', curta com Laura Neiva e Land Vieira que integra o longa 'Rio Eu Te Amo'. Foto: Reprodução/Youtube

"'Texas' é uma história de amor, é um romance mesmo", defende a atriz. No curta, a personagem de Laura, além de não andar, não tem nenhuma fala, o que aumentou o desafio da atriz para se expressar a partir de uma reduzida expressão corporal. 

"Acredito que a fala é o resultado de um sentimento que está dentro de você e essa menina está em depressão, ela acaba de descobrir que não tem como andar. A fala é o de menos para ela, que tem uma ligação muito forte com o marido. Ela fala com os olhos."

A disponibilidade do diretor Guillermo Arriaga no set foi fundamental para deixar a atriz confortável. "Tive ajuda do Arriaga, que estava disposto a me ouvir, a tirar dúvidas. Desde o começo, senti uma ligação muito forte com ele, de aproximação e confiança."

O roteiro do curta tem um final aberto, o que Laura considera "muito positivo", além de mostrar um lado menos glamuroso do Rio. "'Texas' é muito importante para a história do cinema nacional, porque não se contam histórias de cotidiano aqui no Brasil."

Leia tudo sobre: Rio Eu Te AmofilmecinemaLaura Neiva

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas