Filme sobre atuação dos EUA no golpe de 64 ganha prêmios em Nova York e Arizona

Por Raphael Gomide iG Rio de Janeiro | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Documentário, que relata com documentos e áudios da Casa Branca conspiração para derrubar João Goulart, recebeu homenagens especiais do júri nos dois festivais

Divulgação filme "O Dia que durou 21 anos"
Kennedy recebe o embaixador no Brasil, Lincoln Gordon, que articulou o apoio dos EUA ao golpe de 1964

O documentário “O Dia que durou 21 anos” recebeu dois prêmios em festivais nos Estados Unidos nas últimas semanas.

Leia mais: Com arquivos e áudios da Casa Branca, filme revela apoio dos EUA ao golpe de 64

O iG mostrou que o filme revela a intensa participação e o apoio do governo dos Estados Unidos no golpe civil-militar brasileiro de 1964. O diretor Camilo Tavares usou documentos de arquivos nos EUA e gravações de diálogos dos presidentes norte-americanos John Kennedy e Lyndon Johnson para retratar a trama, dentro da burocracia daquele país.

Leia também: Documentário sobre EUA e o golpe de 64 traz áudios originais, diz diretor

Veja o trailer de "O Dia que Durou 21 anos":

Com base nesses documentos, o trabalho mostra que o embaixador dos EUA no Brasil, Lincoln Gordon, coordenou com o governo americano e a CIA ações de desestabilização do presidente João Goulart e articulou o envio de uma força-tarefa naval para ajudar os conspiradores.

O documentário, em cartaz em 13 cidades do Brasil desde o final de março, recebeu os Prêmios Especiais do Júri dos festivais de Cinema de Long Island, em Nova York, e do Arizona. Em maio, o documentário passará a ser exibido em mais nove capitais. Em Long Island, foi um dos três filmes a receber a comenda.

Para a produtora Karla Ladeia, os reconhecimentos nos EUA foram uma surpresa. "Ganhar prêmios com este filme em festivais em NY e no Arizona nos EUA, para nós, era totalmente inesperado, porque o filme toca em feridas profundas da política externa americana. Com esta ótima repercussão que vem tendo nos EUA, percebemos uma maturidade dos americanos em encarar e valorizar a verdade por pior que ela seja", afirmou.

“O Dia que durou 21 anos” já vinha recebendo elogios da crítica norte-americana, em publicações como a "Variety", que o considerou “revelador”, e o “Hollywood Reporter”. Atualmente, o documentário está em exibição no Rio, em São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Florianópolis, Salvador, João Pessoa, Fortaleza, Vitória, Maceió e Recife.

Divulgação "O Dia que durou 21 anos"
O presidente Lyndon Johnson (E) deu aval para Lincoln Gordon montar ação de desetabilização de Goulart e autorizou envio de navios ao Brasil


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas