Filme austríaco indicado em outras quatro categorias bate concorrentes de Chile, Noruega, Canadá e Dinamarca

Reuters

"Amor", do cineasta austríaco Michael Haneke, ganhou o Oscar de melhor filme em língua estrangeira neste domingo durante a cerimônia de entrega dos prêmios Oscar concedidos pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, em Los Angeles.

Leia também: Oscar consagra 'Argo' em noite marcada por excesso de números musicais

Michael Haneke recebe o Oscar de filme estrangeiro por
AP
Michael Haneke recebe o Oscar de filme estrangeiro por "Amor"

"Amor" trata da dignidade da velhice e do direito de escolher a própria morte quando a saúde e a sanidade se esgotam. Numa história de aparente simplicidade, acompanha-se o cotidiano de um velho casal, Georges (Jean-Louis Trintignant) e Anne (Emmanuele Riva), levando adiante sua rotina num apartamento em Paris.

O público é cativado pela normalidade de duas pessoas comuns, entretidas com as pequenas tarefas, das compras, da manutenção da casa, da atenção e da paciência com as manias há muito conhecidas um do outro. A doença de Anne quebra este equilíbrio a dois.

Também disputavam o Oscar nesta categoria os filmes "Expedição Kon Tiki" (Noruega), "Não" (Chile), "O Amante da Rainha" (Dinamarca) e "A Feiticeira da Guerra" (Canadá).

O filme brasileiro "O Palhaço" ficou fora da disputa pelo Oscar de melhor filme estrangeiro. Dirigido pelo também ator Selton Mello, o filme havia sido escolhido para representar o Brasil na disputa, mas não avançou na pré-seleção da Academia, em dezembro, para ser indicado à estatueta.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.