Seth MacFarlane é aposta para atrair público jovem em Oscar "musical"

Por Luísa Pécora - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Saiba mais sobre o apresentador do prêmio, que acontece neste domingo (24); cerimônia deve ser marcada por apresentações de atores e cantores

A cada ano a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood busca uma forma de fazer com que a cerimônia do Oscar, que neste domingo (24) completa 85 anos, siga sendo um sucesso de audiência - ainda que o formato básico permaneça o mesmo e pareça cada vez mais antiquado. Neste ano, a aposta é arriscada: um apresentador pouco conhecido e muitos números musicais.

Siga o iG Cultura no Twitter

Criador de um dos maiores sucessos cinematográficos de 2012, a comédia "Ted", Seth MacFarlane, 39 anos, subirá ao palco do Oscar como uma verdadeira incógnita para o público. “Amamos a expectativa e a novidade de Seth e amamos o fato de as pessoas não saberem exatamente o que verão. Achamos que essa especulação aumenta o interesse pelo programa”, afirmou Neil Meron, produtor da cerimônia ao lado de Craig Zadan, ao site The Hollywood Reporter.

Seth MacFarlane, apresentador do Oscar 2013. Foto: DivulgaçãoEmma Stone e Seth MacFarlane anunciam indicados a melhor filme. Foto: APSeth MacFarlane no set de 'Ted'. Foto: DivulgaçãoSeth MacFarlane em entrevista sobre "Ted". Foto: Getty ImagesImagem do filme "Ted". Foto: Divulgação'Ted', dirigido por Seth MacFarlane. Foto: Divulgação

Popular no Twitter (tem quase 3,7 milhões de seguidores), MacFarlane começou a carreira no estúdio de animação Hanna-Barbera e no final dos anos 1990 passou a criar séries animadas para o público adulto na Fox. Mentor de "American Dad" e "The Cleveland Show", ele ficou conhecido principalmente por "Uma Família da Pesada", que aborda o cotidiano de uma família disfuncional norte-americana.

O passaporte para a apresentação do Oscar foi "Ted", sua estreia na direção, que arrecadou mais de US$ 535 milhões (cerca de R$ 1 bilhão) em todo o mundo. Além de dirigir, MacFarlane também escreveu o roteiro e dublou o personagem principal, um ursinho de pelúcia mulherengo e drogado – o conteúdo adulto do filme, inclusive, motivou uma campanha do deputado federal Protógenes Queiroz para bani-lo dos cinemas.

O humor politicamente incorreto deve estar presente no monólogo de abertura de MacFarlane, mas ele prometeu buscar um equilíbrio entre o seu estilo e o do Oscar. "É preciso andar na linha entre o 'showmanship' tradicional e o contemporâneo", afirmou, em entrevista à revista norte-americana Rolling Stone, citando Billy Cristal e Johnny Carson como bem-sucedidos nesta tarefa. “Há um momento de 'Uma Família da Pesada' em que (o personagem) Stewie dança com Gene Kelly. É isso que preciso alcançar: uma dança entre o tradicional e o novo."

Crise de identidade

A tarefa é mais difícil do que parece, já que nos últimos anos a cerimônia do Oscar vem enfrentando uma crise de identidade. Se nos anos 1990 o prêmio era um sucesso consolidado de audiência, com média de 45 milhões e pico de 57,3 milhões de espectadores, hoje luta para chegar a marca dos 40 milhões.

Infográfico: Tente adivinhar os atores que já ganharam o Oscar

Em 2011, por exemplo, a ideia foi escolher apresentadores jovens para deixar o Oscar mais atraente ao público entre 18 e 49 anos ligado nas redes sociais. Escalados para a função, Anne Hathaway e James Franco foram massacrados pela crítica e a audiência ficou abaixo dos 38 milhões de espectadores. No ano seguinte, a opção foi voltar ao tradicional e convocar Billy Cristal, que já apresentara a cerimônia outras oito vezes. O ibope foi maior (39,3 milhões de espectadores), mas o Oscar pareceu mais antiquado do que nunca.

Reprodução
James Franco e Anne Hathaway no "Oscar jovem" de 2011 e Billy Cristal no ano seguinte

Uma das hipóteses para a queda da audiência ao longo dos anos é o fato de muitos dos indicados recentes, como "O Artista" ou "Guerra ao Terror", terem sido pouco vistos no cinema. Nos anos 1990, a disputa tinha filmes mais populares como "Forrest Gump", "Gladiador" e "Titanic", o que, em tese, criava maior interesse pela cerimônia.

Não por acaso, em 2009 a Academia ampliou de cinco para dez o número de indicados a melhor filme, abrindo espaço para produções de maior público (com uma nova alteração nas regras, este ano nove longas disputam a categoria).

Saiba mais: Veja toda a cobertura do Oscar 2013

Se a tese for verdadeira, os produtores do Oscar 2013 podem respirar um pouco mais aliviados, já que seis dos nove indicados arrecadaram mais de US$ 100 milhões (R$ 197 milhões) nas bilheterias dos Estados Unidos e do Canadá. No ano passado, apenas um tinha batido essa marca: "Histórias Cruzadas".

Musicais

Outra aposta do Oscar deste ano são os números musicais, o que também pode ter algo a ver com a escolha de MacFarlane para a apresentação. No ano passado, ele lançou seu primeiro disco, "Music is Better than Words", no qual homenageia clássicos da música norte-americana, na linha de veteranos como Frank Sinatra e Tony Bennett.

AP
Funcionários cuidam dos últimos preparativos para o Oscar no Dolby Theatre

MacFarlane, aliás, está indicado à estatueta de canção original por "Everybody Needs a Best Friend", tema de "Ted", que será interpretada na cerimônia por Norah Jones. Quando todos os prêmios tiverem sido entregues, inclusive melhor filme, MacFarlane voltará ao palco não para fazer a tradicional breve despedida, mas, sim, para um dueto musical com a estrela da Broadway Kristin Chenoweth.

Outras apresentações foram previstas por Meron e Zadan, produtores de musicais cinematográficos de sucesso como "Chicago", "Hairspray" e "Footlose". O próprio gênero será tema de uma homenagem com a participação dos atores Russell Crowe, Jennifer Hudson e Catherine Zeta-Jones. Além disso, subirão ao palco Shirley Bassey, que deve lembrar os 50 anos dos filmes de James Bond, Barbra Streisand, em sua primeira apresentação na festa desde 1977, e Adele, intérprete de "Skyfall", uma das indicadas a canção original.

Com tantos musicais e mais os discursos dos vencedores de 24 categorias, tudo leva a crer que a cerimônia, geralmente com duração de três horas, será longa. O Oscar acontece no Dolby Theatre (novo nome do então Kodak Theatre) e no Brasil terá transmissão ao vivo pela TNT, a partir das 21h30.

Leia tudo sobre: oscarcinemaseth macfarlaneoscar 2013

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas