Achado comprova que no vale dos Reis há também sepulturas de personalidades da época, além dos sarcófagos dos faraós

Túmulo de cantora de Amon-Rá foi descoberto a 600 quilômetros do Cairo, no Egito
AFP
Túmulo de cantora de Amon-Rá foi descoberto a 600 quilômetros do Cairo, no Egito
Uma equipe de arqueólogos suíços descobriu o túmulo de uma cantora do deus Amon-Rá, da 22ª dinastia (712-945 a.C.), no vale dos Reis na cidade de Luxor, a 600 quilômetros do Cairo.

O Ministério de Estado para as Antiguidades do Egito anunciou neste domingo que os arqueólogos encontraram o sarcófago durante os trabalhos de limpeza de um corredor que leva ao túmulo de um faraó Tutmósis III (1490-1436 a.C.).

Nesse corredor, os especialistas encontram um poço que dá acesso a uma sala de sepultamento, onde a equipe suíça achou o sarcófago da cantora, conforme comunicado divulgado pelo Ministério.

Leia também:
Descoberta gigantesca estátua de faraó no Egito
Tutankamon morreu de doença sanguínea, dizem pesquisadores
Arqueólogos buscam Cleópatra no mar e na terra
Manchas na tumba provam que Tutankamon foi enterrado às pressas

O túmulo, de madeira e pintado de preto, tem escrituras em hieróglifo, que incluem o nome da artista "Ni Hems Bastet".

Os arqueólogos acharam ainda perto do túmulo do faraó um muro onde o nome da cantora também aparece inscrito.

A importância dessa descoberta, de acordo com as autoridades egípcias, é provar que no vale dos Reis, na margem ocidental do Nilo, que há sepulturas de outras personalidades da época da 22ª dinastia, além dos faraós.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.