Nova teoria sobre os dedos enrugados dentro d'água

Estudo mostra que fenômeno é controlado pelo sistema nervoso e melhora a aderência das mãos molhadas às superfícies

The New York Times |

As pessoas que já ficaram na chuva por muito tempo ou de molho em uma banheira por horas sabem que isso pode deixar as mãos e os pés enrugados. O senso comum sugere que se trata apenas da absorção da água pela pele.

Leia também:
Estudo mostra relação entre dedos da mão e órgão sexual masculino

Porém, algumas perguntas têm deixado os cientistas intrigados. Por que o enrugamento aparece apenas nas mãos e nos pés? E por que as rugas mais proeminentes ficam nas pontas dos dedos? Os cirurgiões sabem que, quando os nervos dos dedos são cortados, as rugas desaparecem, o que sugere que o processo é controlado pelo sistema nervoso.

Agora, um artigo publicado na revista Brain, Behavior and Evolution oferece mais evidências de que o enrugamento causado pela água tem um propósito.

Assim como a banda de rodagem de um pneu, as rugas melhoram o atrito.

No estudo, o neurobiólogo evolutivo e os coautores examinaram 28 dedos enrugados pela água. Eles descobriram que todos tinham um padrão de sulcos semelhantes não conectados, que iam se distanciando um do outro conforme se afastavam das pontas dos dedos.

As rugas permitem que a água escorra no momento em que as pontas dos dedos pressionam superfícies molhadas, criando mais contato com a superfície e melhor aderência. Eles planejam estudar se os dedos enrugados são de fato melhores para segurar objetos e se os mamíferos que vivem em habitats molhados estão mais propensos a possuí-los.

O aparecimento de rugas foi confirmado apenas nos seres humanos e nos macacos cercopitecíneos.

Com isso, conclui-se que o enrugamento pode ter uma finalidade: melhorar a aderência e o atrito.

    Leia tudo sobre: dedos. umidadeteorias

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG