Viúva de Ohio não ficará com animais exóticos

Animais sobreviventes de matança ocorrida na semana passada serão mantidos em outro zoológico

Associated Press |

AP
Saúde dos animais será avaliada durante quarentena em zoológico
Os seis animais exóticos que sobreviveram após serem libertados por seu dono suicida em Ohio serão mantidos por enquanto em quarentena em um zoológico local, em vez de serem devolvidos para a viúva do responsável, determinou o Departamento de Agricultura do Estado na quinta-feira.

O Zoológico e Aquário Colombo tentava impedir Marian Thompson de requerer a tutela dos três leopardos, dois primatas e um jovem urso pardo que foram atendidos pela instituição desde a semana passada, quando Terry Thompson misteriosamente libertou os animais em uma área rural do leste de Ohio.

O zoológico disse que levou os seis animais sobreviventes com permissão de Marian Thompson, mas que não tem direitos legais para mantê-los. Um veterinário particular do Departamento de Agricultura avaliou os animais e determinou que eles necessitam permanecer separados de outros animais, disse Rob Nichols, um porta-voz do governador John Kasich.

Leia mais sobre a morte dos animais em Ohio:

Polícia mata 49 animais que escaparam após morte de dono de zoo nos EUA
Análises preliminares indicam que dono de zoológico se matou
Polícia busca tigres, ursos e leões que fugiram de zoo nos EUA

A ordem de quarentena dá ao Departamento de Agricultura a oportunidade de investigar a saúde dos animais e impede que o zoológico os libere até que esteja claro que eles não representam uma possível ameaça de doença.

Thompson seria informada da decisão quando chegasse ao zoológico e não poderia levar os animais consigo, explicou Nichols. A ordem é por tempo indeterminado, mas Thompson tem direito a uma audiência dentro de 30 dias, caso queira entrar com um recurso.

Os advogados que representaram Thompson não puderam ser contatados para comentar a questão na quinta-feira.

Os animais parecem saudáveis, embora um pouco abaixo do peso, mas o zoológico não pode realizar seus exames médicos padrão já que os animais não lhes pertencem, explicou o Presidente e CEO do zoológico, Dale Schmidt.

Ohio tem algumas das restrições mas fracas dos Estados Unidos à criação de animais de estimação exóticos e os esforços para fortalecer os regulamentos ganharam uma nova urgência desde que Terry Thompson abriu a gaiola em que os mantinha em sua fazenda, perto de Zanesville, na semana passada, libertando cerca de 40 animais que foram mais tarde fuzilados pelas autoridades.

Veja outros casos de animais soltos em cidades:
Onça invade quintal e é capturada por bombeiros no interior de São Paulo
Vídeo: Canguru invade jardim de casa no oeste da Inglaterra
Vídeo: Ornitorrinco é resgatado de esgoto de cidade australiana
Vídeo: Tubarão de 500 kg pula dentro de barco na África do Sul
Vídeo: Jacaré é encontrado no lixo em cidade chinesa

Os oficiais locais receberam ordens para matar os animais – incluindo raros tigres de Bengala, leões e ursos – em vez de tentar derrubá-los com tranquilizantes por medo de que os atingidos por dardos escapariam na escuridão antes de cair e, mais tarde, recuperariam a consciência.

Não está claro se Marian Thompson quer levar os animais sobreviventes de volta para a fazenda ou para um local alternativo, disse o xerife do Condado de Muskingum, Matt Lutz, cujo gabinete não irá tomar uma posição sobre a decisão.

"Se ela quiser trazê-los de volta para a fazenda nós iremos trabalhar dentro da lei para que tudo seja feito de maneira legal, segura e apropriada", disse Lutz.

Sam Kopchak, cuja propriedade fica ao lado da fazenda de Thompson, disse que tem sentimentos mistos sobre Marian Thompson trazer os animais de volta, já que ele se viu a cerca de 30 metros de um leão durante a escapada. Ele disse que sente muito por Thompson e reconhece a sua perda, mas preferiria não ter leões e tigres como vizinhos.

"Eu prefiro que eles não voltem aqui depois do que vivi naquela situação de animais à solta", disse ele na quinta-feira. "E eu acho que a maioria dos vizinhos por aqui provavelmente diria a mesma coisa."

Até início deste ano, Ohio mantinha uma ordem executiva que proibia a compra e venda de animais exóticos, mas o recém-eleito Kasich deixou a lei expirar, dizendo que sua imposição é algo muito difícil para o Estado. Na semana passada, ele implementou medidas temporárias para reprimir a propriedade privada deste tipo de animal. Uma comissão de estudo tem até o dia 30 de novembro para elaborar uma legislação permanente.

Por Ann Sanner e Kantele Franko

    Leia tudo sobre: animaiszoológico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG