Megacidades: menos 1,3 bi de toneladas de gases de efeito estufa até 2030

O anúncio foi feito pelos prefeitos de Nova York, Michael Bloomberg, e do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, durante o encontro anual dos mandatários das maiores cidades do mundo (C40),  com 59 integrantes

Agência Brasil | - Atualizada às

Agência Brasil

As maiores cidades do mundo comprometeram-se hoje (19) a reduzir em até 248 milhões de toneladas as emissões de gases de efeito estufa até 2020. O anúncio foi feito pelos prefeitos de Nova York, Michael Bloomberg, e do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, durante o encontro anual dos mandatários das maiores cidades do mundo (C40), com 59 integrantes. Segundo os prefeitos, há potencial para reduzir as emissões em cerca de 1,3 bilhão de toneladas até 2030, mais do que o México e o Canadá poluíram juntos em 2008. 

Veja a cobertura completa da Rio+20

Agência O Globo/Pablo Jacob
Eduardo Paes e o prefeito Michael R. Bloomberg, de NY, no C40

Paes afirmou que o compromisso do C40 não é apenas uma carta de intenções, mas sim um desafio assumido pelos municípios. “A cidade se sente obrigada a cumprir os desafios assumidos aqui. O Rio será guardião desse desafio.”

“As megacidades já estão implementando estratégias de redução de gases de efeito estufa. Todas as cidades do grupo C40 têm programas. Não esperamos os governos nacionais tomarem a dianteira e aprovarem recursos”, disse Bloomberg que também é o presidente do grupo C40. Ele citou Nova York como exemplo e disse que a cidade reduziu as emissões de gases de efeito estufa em 13% nos últimos cinco anos.

Bloomberg também anunciou o lançamento de uma parceria com o Banco Mundial que vai criar um site com as melhores práticas entre as cidades do C40, além de identificar similaridades entre políticas, estratégias de financiamento e parcerias sustentáveis.

Participantes

O prefeito da cidade de São Paulo, Gilberto Kassab, o governador do estado de Lagos, na Nigéria, Tunde Faschola, o prefeito de Curitiba, Luciano Ducci, o prefeito de Buenos Aires, Maurício Macri, e o de Seul, na Coréia do Sul, Won Soon Park, eram alguns dos representantes presentes no evento.

A imagem do ex-presidente americano Bill Clinton apareceu em um telão e ele, que comanda a Clinton Climate Initiative, falou sobre a parceria com a C40. “Trabalhamos junto com prefeitos de muitas cidades do mundo para auxiliar na redução da emissão de gases do efeito estufa. Este encontro mostra que com parcerias criativas podemos proteger o meio ambiente criando empregos para desenvolver a economia”, pontuou Clinton.

E completou: “Faremos tudo que pudermos para que essa redução aconteça o mais rápido possível mostrando um resultado positivo para o meio ambiente e para a economia”.

C40

A reunião começou ontem no Forte de Copacabana, na zona sul, e continua durante todo o dia de hoje, paralelamente à Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20 .

Em 2011 esse grupo de cidades respondeu por 20% do Produto Interno Bruto (PIB) global ou US$ 13 trilhões de dólares. Essas cidades também são as que mais poluem no planeta e detém 14% das emissões globais de gases de efeito estufa. A previsão é de que, se nada for feito, em 2030 essas cidades produzirão 2,3 bilhões de toneladas de emissões de gases de efeito estufa.

O C40 foi criado em 2005 e reúne as maiores cidades do mundo com o objetivo de criar ações locais sustentáveis por meio de troca de experiências, assistência técnica e parcerias.

* Com reportagem de Priscila Bessa

    Leia tudo sobre: Rio+20Rio20

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG