Italianos cobrem geleira para evitar derretimento

Cobertura tem 90 mil metros quadrados e protegerá o gelo contra o calor do verão europeu

BBC Brasil |

selo

Divulgação
Tela cobrindo a geleira de Preseni, na Itália: proteção contra o calor
A geleira Presena, no norte da Itália, está sendo coberta por uma tela térmica para diminuir o ritmo de seu derretimento durante o verão europeu (inverno no Brasil).

A tela especial, que filtra os raios ultravioletas do sol, foi importada da Áustria, onde este tipo de experiência tem dado certo. Seus fios são de polipropileno e unidos formam uma trama permeável à água, mas capaz de permitir a troca de temperaturas internas e externas.

Dois anos atrás, um teste realizado na geleira italiana comprovou a eficiência desta ação, que conseguiu evitar 60% da neve do derretimento. Na experiência, a neve desprotegida perdeu um metro e meio de espessura a mais do que a parte coberta.

Os italianos usaram naquela ocasião 30 mil m² de tela. Com o resultado positivo, eles agora decidiram triplicar o perímetro de ação, passando para 90 mil m².

A tela tem uma espessura de 4 milímetros e pela cor branca se mimetiza com a paisagem, além de refletir os raios do sol. Ela vai ser retirada apenas no começo do mês de setembro.

"Este sistema funciona apenas se temos gelo embaixo da neve. E este é o caso do Presena. Se houvesse apenas a neve sobre o capim, a terra, ela derreteria de qualquer forma. Queremos proteger o gelo mantendo a neve fria", explica para a BBC Brasil Giacinto Delpero, presidente da empresa Carossello Tonale, responsável pelo trabalho de cobertura.

Operação
A colocação da tela sobre o glaciar é lenta e difícil por causa das condições climáticas adversas. A língua de gelo começa a 2.750 metros e continua até 3 mil metros de altitude. A temperatura chega facilmente aos -10ºC, mesmo no verão.

Operários desenrolam as faixas das telas - cada uma com 70 metros de comprimento por 5 metros de largura - do alto para baixo, colocando sacos de areia nas extremidades para manter o "lençol" preso ao terreno em caso de ventos fortes.

Ao mesmo tempo, cientistas estudam as características do manto e a espessura do gelo para, mais tarde, entender melhor o processo de encolhimento da geleira e suas consequências.

"Uma coisa é certa: o derretimento das geleiras ocorre por causa do aumento da temperatura global", disse o engenheiro ambiental e territorial Nicola Paoli, do Serviço de Proteção Civil da Província de Trento, onde fica o glaciar.

Ameaça
As geleiras de Trento já perderam 25% de sua massa total entre 1993 e 2003. O Presena apresenta a situação mais crítica, com uma redução da ordem de 39%. Até 1980, a quantidade de neve acumulada no topo da montanha do glaciar durante o inverno equivalia em média ao volume derretido durante o verão.

O problema é que nos últimos 30 anos o desequilíbrio desta relação apresenta um resultado negativo para a geleira. "E nos últimos quatro, cinco anos, observamos que a neve derretida dobrou em relação ao ritmo normal. A redução da espessura passou de um metro por ano para um e meio a dois metros", alerta o engenheiro.

Mesmo com 30 ou 40 metros de profundidade em alguns pontos, a sobrevivência do glaciar Presena não estaria garantida.

    Leia tudo sobre: aquecimento globalitáliageleiras

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG