Por meio do conceito espaço-tempo, estudioso descreve sua teoria, que é dividida em quatro âmbitos; para ele, antes da explosão, só existia o tempo e o espaço em um “estado duplo”, distorcido por outra dimensão; entenda

O físico de 76 anos alegou que nada existia antes do Big Bang, havendo apenas o tempo e o espaço em um “estado duplo”
shutterstock
O físico de 76 anos alegou que nada existia antes do Big Bang, havendo apenas o tempo e o espaço em um “estado duplo”

Há mais de 13 bilhões de anos, toda a matéria do universo explodia no grande evento nomeado Big Bang .  Como já foi apontado pelos cientistas, a explosão possibilitou a criação do cosmos conforme conhecemos atualmente. Mas, e antes disso? Como era o espaço? O que acontecia? Aliás, existia alguma coisa? O professor e físico Stephen Hawking diz ter encontrado a resposta que pode desvendar esse mistério.

Leia também: Cientista acusa Nasa de ocultar provas sobre presença de alienígenas em Marte

Em uma entrevista ao programa Star Talk , o físico de 76 anos alegou que "nada existia antes do Big Bang , havendo apenas o tempo e o espaço em um 'estado duplo', distorcido por outra dimensão". Segundo Hawking, o Big Bang é a formação do que os seres humanos conhecem como “tempo”, uma vez que o fenômeno quebrou as leis da física. Para ele, tudo o que antecedeu esse evento não pode ser aplicado à compreensão humana de tempo e existência.

O tempo Imaginário

Por meio do conceito espaço-tempo, o estudioso descreve sua teoria, que é dividida em quatro dimensões. "Na abordagem euclidiana, o tempo real comum é substituído pelo ‘tempo imaginário’, que se comporta como uma quarta direção do espaço. Para visualizar isso, é preciso imaginar uma linha horizontal com o passado executado para a esquerda e o futuro para a direita. Se você adicionar uma linha vertical, ou o ‘tempo imaginário’, é o que havia antes da explosão. Ou seja, não havia um ‘limite’ imaginável do tempo”, explica Hawking.

Leia também: Sistema Solar pode abrigar formas de vida alienígena em Saturno, diz novo estudo

Ainda segundo a teoria, a história do universo não seria uma "linha plana", mas um objeto curvo com quatro espaços, "como a superfície da Terra, somada a mais duas dimensões". A fim de tornar a ideia mais simples, ele aponta o início do espaço-tempo imaginário no Polo Sul da Terra, que é um ponto onde as leis normais da física se mantêm e, portanto, fica mais fácil imaginar. “Não há nada ao sul do Polo Sul, assim como não havia nada antes do Big Bang", compara.

Dando continuidade à linha de raciocínio, o tempo e a existência se ausentam de um único ponto, como os graus de latitude no planeta Terra, o que, para o físico, revela que antes da explosão, o universo foi encolhido e condensado para uma bola de calor enérgica, do tamanho de um átomo. Dentro desta mancha, as leis da física e do tempo conhecidas atualmente não funcionam, sendo assim, inexistentes.

Leia também: Astrônomos conseguem detectar sinais das primeiras estrelas do universo

“A ‘flecha’ do tempo encolhe infinitamente à medida que o universo se torna menor, nunca alcançando um ponto de partida identificável. Antes do Big Bang , o tempo era duplo, sempre se aproximava de nada, mas não se tornava 'o nada'. Na verdade, nunca houve uma explosão que produzisse algo 'do nada', isso tudo foi analisado do ponto de vista humano”, conclui.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.