Barry DiGregorio afirma que publicará estudo que mostra como "a Nasa tem ocultado informações importantes", já que, para ele, a descoberta de 'fósseis' em Marte representam resquícios de vida e não cristais de rocha

Segundo cientista, fosseis descobertos pela Nasa são resquícios de vida dos alienígenas e não restos de cristais de rocha
Reprodução/Nasa
Segundo cientista, fosseis descobertos pela Nasa são resquícios de vida dos alienígenas e não restos de cristais de rocha

A Agência Espacial Americana ( Nasa ) está escondendo descobertas sobre a presença de alienígenas em Marte. Pelo menos é isso o que afirma o cientista Barry DiGregorio, da Universidade de Buckingham. Segundo o estudioso, a equipe está ignorando o significado dos fósseis encontrados no começo deste ano por conta de uma missão que ocorrerá em 2030, onde explorará o "Planeta Vermelho" de forma mais aprofundada.

Leia também: Caçadores de alienígenas encontram suposto óvni em ilha próxima à Antártida

O cientista relata que, em breve, publicará um estudo onde discorrerá sobre como a Nasa tem ocultado as descobertas acerca da vida dos alienígenas em Marte, já que, para ele, as imagens divulgadas mostram resquícios de vida como as do período Ordoviciano, e não estruturas formadas por cristais rochosos, conforme sugere a agência.

A teoria de DiGregorio

Ainda seguindo o raciocínio de DiGregorio, os fósseis que mais parecem 'palitos de gesso' não são as criaturas em si, mas sim evidências das mesmas. Para ele, o achado pode representar pegadas, restos de alimento e até mesmo destroços dos locais onde tais grupos viviam. "Se não são fósseis, quais outras explicações geológicas surgirão da Nasa?”, questionou o pesquisador ao Daily Mail .

Leia também: Astrônomos conseguem detectar sinais das primeiras estrelas do universo

E se engana quem pensa que o cientista é o único a acreditar na presença de aliens em Marte. Nas últimas semanas, a agência espacial europeia (ESA) colocou uma sonda espacial no planeta para a identificação de possíveis sinais de vida.

A ESA informou que o a sonda Trace Gas Orbiter realizou com êxito uma delicada manobra, e que, em breve, passará a procurar gases como o metano, resultante de atividades biológicas e geológicas, além da busca por gelo, que ajudará de forma significativa nas futuras missões para Marte.  

Leia também: Último rinoceronte-branco do norte está doente; biólogos temem extinção

Também para auxiliar neste processo de identificação da possível presença de alienígenas no planeta marciano, a Nasa instalará uma espécie de rádio na superfície do planeta, passando a transmitir os sinais recebidos para as equipes presentes nos Estados Unidos. Segundo a ESA, seu prórpio sistema de rádio deve ficar pronto até 2021. “A missão com a Trace Gas Orbiter terá mais ou menos dois anos de duração. Queremos observar a atmosfera de Marte, buscar elementos biológicos relevantes, e gerar um melhor entendimento acerca dessas descobertas”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.