Telescópio espacial da Nasa descobriu cor de planeta a 63 anos-luz de distância

Ilustração do HD 189733b: azul, mas quente demais para os seres humanos
Nasa
Ilustração do HD 189733b: azul, mas quente demais para os seres humanos

Astrônomos estudando as observações do telescópio espacial Hubble, da Nasa, descobriram a cor real de um planeta que orbita uma estrela a 63 anos-luz de distância do Sistema Solar. E a surpresa foi que o HD 189733b é azul como a Terra.

Usando o espectógrafo do telescópio, os cientistas descobriram sua cor original, e viram que se visto diretamente, ele seria parecido com a Terra.

Leia as últimas descobertas sobre exoplanetas:

Astrônomos descobrem três novos planetas potencialmente habitáveis

Cientista propõe novas alternativas para encontrar vida extraterrestre

Vídeo: Nasa anuncia descoberta de planetas 'habitáveis'

Astrônomos descobrem menor planeta fora do sistema solar

Mas as semelhanças acabam aí: no HD 189733b, a temperatura diurna pode chegar a 2760°C, e ali provavelmente não chove água, mas vidro, com ventos de 7.200 quilômetros por hora. A luz azul não ve do reflexo dos oceanos como na Terra, e sim da atmosfera quente que contém nuvens de partículas de silício, que ao se condensar no calor formam gotas de vidro que refletem luz azul.

Imagem do Hubble mostrando o HD 189733b, o ponto mais brilhante  no canto esquerdo. À direita, a nebulosa Messier 27
Nasa
Imagem do Hubble mostrando o HD 189733b, o ponto mais brilhante no canto esquerdo. À direita, a nebulosa Messier 27

O HD 189733b é considerado um "Júpiter quente", um classe de planetas que orbitam muito perto de suas estrelas, e o estudo dele está trazendo novas informações sobre a composição química e estrutura de nuvens de todo o seu grupo.

O planeta foi descoberto em 2005, e está a 4,6 milhões de quilômetros de sua estrela, uma distância tão curta que seus campos gravitacionais se misturam e o planeta não tem rotação -- um lado sempre está de frente para a estrela e o outro está sempre no escuro.

Em 2007, o Telescópio Espacial Spitzer mediu a luz infravermelha emitida pelo planeta, chegando a um dos primeiros mapeamentos de temperatura de um exoplaneta, que mostrou que a diferença de temperatura entre os lados do HD 189733b pode chegar a 260 graus Celsius, que causaria ventos violentos do lado diurno para o lado noturno do planeta.

Veja outras imagens do espaço:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.