Buraco negro gira quase na velocidade da luz, diz estudo

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Primeira medição confiável da taxa de rotação de um buraco negro mostrou que ele gira quase tão veloz quanto a teoria da gravidade de Einstein permitiria

NASA/JPL-Caltech/UCLA
Ilustração mostra buraco negro com bilhões de vezes a massa do Sol

Buracos negros supermassivos são incrivelmente mais rápidos do que se imaginava. Foi o que concluiu estudo realizado por uma equipe internacional de astrônomos que mediu a alta energia de raio x liberada por um buraco negro supermassivo no meio de uma galáxia vizinha. Esta foi a primeira medição confiável da taxa de rotação de buracos negros. A medição mostrou que a velocidade de rotação é semelhante a da luz, 1,08 bilhões de km/h.

Por muito tempo se suspeitou que grandes buracos negros vagando no coração das galáxias giram mais rápido e se expandem mais rápido assim que englobam gás, poeira, estrelas e matéria. Porém ainda não havia sido feita uma medição confiável sobre a taxa de rotação dos buracos negros até agora.

Leia mais:
Buraco negro gigante confunde cientistas
Buraco negro na Via Láctea ameaça devorar estrela e planetas em formação
Astrônomos captam maior ejeção de matéria de um buraco negro
Astrônomos flagram buraco negro devorar estrela

Como os buracos negros são difíceis de serem detectados, pois a região ao redor deles solta raio-x, a equipe internacional de pesquisadores observou a alta energia de raio X liberada por um buraco negro supermassivo no meio de uma galáxia vizinha.

O estudo publicado no periódico cientifico Nature mostrou que o buraco negro supermassivo que vaga entre a poeira e os gases da galáxia chamada NGC 1365 gira quase tão rápido quanto a teoria da gravidade de Einstein permitiria. Os resultados finalizam um antigo debate sobre medições semelhantes em outros buracos negros e vão ajudar no melhor entendimento sobre como os buracos negros e galáxias se desenvolvem

Por vários dias, dois telescópios - NASA's Nuclear Spectroscopic Telescope Array (NuSTAR), da Nasa e o XMM-Newton da agência espacial europeia - rastrearam de modo simultâneo o imenso buraco negro em NGC 1365. A galáxia foi escolhida por estar a 60 milhões de anos-luz – algo relativamente perto em termos de distâncias astronômicas.

Leia tudo sobre: espaçoburaco negronasaesaeinstein

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas