Nobel de Química 2012 vai para estudos sobre receptores de célula

Pesquisas de Robert Lefkowitz e Brian Kobilka foram fundamentais para o desenvolvimento de melhores medicamentos

iG São Paulo | - Atualizada às

EFE
Robert Lefkowitz, da Universidade de Duke, foi um dos vencedores do Nobel de Química 2012

O prêmio Nobel de Química 2012 foi para os americanos Robert Lefkowitz, da Universidade de Duke (EUA), e para Brian Kobilka, da Universidade de Stanford (EUA), que mapearam uma importante família de receptores que permitem que as células do corpo percebam e respondam a sinais externos. Os estudos dos dois pesquisadores tiveram como aplicação o desenvolvimento de medicamentos melhores, com menos efeitos colaterais.

Descobrir melhores formas de alcançar os receptores é uma área de extrema importância para as indústrias farmacêutica e de biotecnologia. Atualmente mais da metade dos medicamentos, como antiarrítmicos, antihistamínico e remédios psiquiátricos, agem nestes receptores.

Conheça a história do prêmio Nobel

Os trabalhos de Lefkowitz e Kobilka mostraram exatamente como funcionam estes receptores - conhecidos como receptor acoplado à proteína G - e como as células do corpo respondem a estímulos, como por exemplo uma injeção de adrenalina, por exemplo.

Veja quem foram os outros vencedores deste ano:
Nobel de Física 2012 vai para estudos de controle de partículas quânticas
Nobel de Medicina 2012 vai para a descoberta de reprogramação de células

“Estou muito animado. Eu estava dormindo quando o telefone tocou, mas eu não atendi. Preciso compartilhar com vocês que uso tampões de ouvido. Minha esposa me deu uma cotovelada e eu peguei o telefone. Foi uma surpresa”, disse Lefkowitz, em entrevista coletiva, por telefone, minutos após o anúncio do prêmio.

EFE
Trabalho de Brian Kobilka (foto) e Robert Lefkowitz ajudaram a desenvolver medicamentos melhores

Sven Lidin, professor de química inorgânica na Universidade Lund e presidente do comitê, disse em entrevista coletiva que a descoberta foi fundamental no desenvolvimento de pesquisas médicas."Saber o que eles (os receptores) parecem e como eles funcionam vai nos fornecer as ferramentas para fazer remédios com menos efeitos colaterais", afirmou.

Semana de prêmios
Serge Haroche e David Wineland venceram ontem (10) o Nobel de Física 2012 pelos métodos por medir e manipular partículas quânticas individuais. Os estudos dos dois pesquisadores possibilitam a construção de relógios extremamente precisos e marcam o primeiro passo para computadores muito mais rápidos

Na segunda-feira (8) O Nobel de Medicina 2012 foi para o britânico John B. Gurdon, de 79 anos, e o japonês Shinya Yamanaka, de 50 anos, pela descoberta de que células adultas podem ser reprogramadas e se tornarem pluripotentes.

Amanhã (11), será anunciado o prêmio de Literatura e na Sexta-feira (12), o da Paz. O prêmio de economia, que não estava entre os prêmios originais, mas foi criado pelo banco central sueco em 1968, será anunciado em 15 de outubro.

Veja os vencedores do Nobel de 2011:
Descobertas sobre imunidade ganham o Nobel de Medicina de 2011
Nobel de Química 2011 vai para descoberta dos quase-cristais
Nobel de Física 2011 vai para estudo sobre expansão do universo
Sueco Tomas Tranströmer é o ganhador do Nobel de Literatura
Prêmio Nobel da Paz é dividido entre três mulheres
Americanos Thomas Sargent e Christopher Sims ganham o Nobel de Economia

Em consequência da crise econômica, a Fundação Nobel reduziu o valor do prêmio a oito milhões de coroas suecas (1,2 milhão de dólares, cerca de 2,4 milhões de reais) por prêmio, contra 10 milhões de coroas concedidos desde 2001.

Veja a lista dos últimos premiados pelo Nobel de Física:

- 2012: Robert Lefkowitz (Estados Unidos) e Brian Kobilka (Estados Unidos)
- 2011: Saul Perlmutter e Adam Riess (Estados Unidos) e Brian Schmidt (Austrália/Estados Unidos)
- 2010: Andre Geim (Países-Baixos), Konstantin Novoselov (Rússia/Grã-Bretanha)
- 2009: Charles Kao (Estados Unidos/Grã-Bretanha), Willard Boyle (Estados Unidos/Canadá), George Smith (Estados Unidos)
- 2008: Yoichiro Nambu (Estados Unidos), Makoto Kobayashi e Toshihide Maskawa (Japão)
- 2007: Albert Fert (França) e Peter Grünberg (Alemanha)
- 2006: John C. Mather (Estados Unidos) e George F. Smoot (Estados Unidos)
- 2005: Roy J. Glauber (Estados Unidos), John L. Hall (Estados Unidos) e Theodor W. Hänsch (Alemanha)
- 2004: David J. Gross, H. David Politzer e Frank Wilczek (Estados Unidos)
- 2003: Alexei A. Abrikosov (Rússia/Estados Unidos), Vitaly Ginzburg (Rússia) e Antony J. Leggett (Grã-Bretanha/Estados Unidos)
- 2002: Raymond Davis Jr (Estados Unidos), Masatoshi Koshiba (Japão), e Riccardo Giacconi (Estados Unidos)

(Com informações das agências de notícias)

    Leia tudo sobre: nobelnobel de química

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG