Plataformas ficaram lotadas nas linhas Esmeralda, Azul e Vermelha. Problemas técnicos e elétricos causaram reflexos no transporte no período da manhã

Desde o início desta tarde, os usuários do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) não encontram mais tumultos nas estações e conseguem usar os transportes sem atrasos. A previsão é de que a volta para casa ocorra sem transtornos.

No início da manhã, um problema elétrico na Linha 9-Esmeralda e panes técnicas nas linhas 1-Azul e 3-Vermelha geraram atrasos na circulação de trens e acúmulo de passageiros nas plataformas. Internautas chegaram a compartilhar imagens de filas e trens lotados

Acompanhe o trânsito em São Paulo
Internautas comentam pane do Metrô e CPTM nas redes sociais

Por volta das 11h30, o iG percorreu quatro estações da CPTM na zona sul - Vila Olímpia, Cidade Jardim, Hebraica-Rebouças e Pinheiros - e o cenário era bem diferente. O movimento já estava normalizado e usuários conseguiam se movimentar com tranquilidade. Para muitos que conversaram com a reportagem, os ônibus foram um boa alternativa para driblar as imensas filas nas estações pela manhã.

Acúmulo de passageiros na Estação Santo Amaro da CPTM, na zona sul de São Paulo, nesta manhã
Diogo Moreira/Futura Press/AE
Acúmulo de passageiros na Estação Santo Amaro da CPTM, na zona sul de São Paulo, nesta manhã

Quase 200 mil pessoas foram afetadas pelas falhas nesta manhã. Segundo o Metrô, nas duas linhas afetadas, a Linha 1-Azul e Linha 3-Vermelha, cerca de 165 mil usuários foram prejudicados. Já na CPTM, foram afetados cerca de 30 mil usuários da Linha 9-Esmeralda.

P roblemas

A primeira ocorrência que prejudicou o transporte público na capital foi registrada, às 5h, na Linha 9-Esmeralda da CPTM, entre as estações Granja Julieta e Santo Amaro. Um defeito no sistema de energia causou restrições na linha por quase 4h.

Até 8h40, os trens circularam alternadamente, por uma única via. Com isso, toda a linha 9 registrou maior intervalo e tempo de parada nas estações. Plataformas ficaram lotadas e usuários reclamavam da falta de trens na linha. O Plano de Apoio Entre Empresas Frente a Situações de Emergência (Paese) não foi ativado.

Metrô

Já por volta das 6h40, a Linha 3-Vermelha do Metrô, trecho Corinthians-Itaquera e Palmeiras Barra Funda, uma falha no sistema pneumático de uma composição (responsável pela movimentação do trem) prejudicou a viagem dos usuários. Segundo o Metrô, o problema ocorreu em um trem que estava parado na Estação Pedro II que seguia para a Barra Funda, na zona oeste.

Rede cortada: Pane elétrica paralisa trólebus no centro de São Paulo

O trem foi retirado de circulação e levado para manutenção. Outros trens da linha chegaram a ficar parados em outros trechos do sentido Barra Funda. Segundo o órgão, às 7h58, o transporte de usuários já estava sendo normalizado. Mesmo após a retomada dos serviços, havia acúmulo de passageiros nas plataformas e atrasos nas viagens.

Pouco mais tarde, por volta das 8h, um trem da Linha 1-Azul também apresentou falhas técnicas. A composição registrou problemas de tração entre as estações Vila Mariana e Santa Cruz e precisou ser esvaziada. Após 40 minutos, a companhia informou que o problema havia sido resolvido e a "circulação dos trens estava em processo de normalização".

Trânsito

Com o transporte público instável, usuários buscaram alternativas para chegar ao trabalho. O índice de congestionamentos na capital já estava acima da média às 8h15, com 82 km de vias com lentidão. De acordo com o medidor do iG , no mesmo horário, o trânsito da capital era considerado lentro com mais de 250 km de congestionamento.

Uma via que possivelmente afetada pelas falhas na CPTM foi a Radial Leste, no sentido centro. Entre a avenida Pires do Rio e rua Wandenkolk, o motorista encontrou aproximadamente 5 km de congestionamento. O excesso de veículos no local causa a lentidão, disse Companhia de Engenharia e Tráfego (CET).

Internautas comentaram o assunto nas redes sociais:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.