Com liminar, Center Norte funciona normalmente

Justiça mantém shopping aberto nesta sexta-feira. Apesar das lojas estarem abertas, o movimento é muito fraco

Carolina Garcia, iG São Paulo |

Carolina Garcia
Corredor vazio na manhã desta sexta-feira no shopping Center Norte

Por meio de uma liminar concedida pelo juiz Emílio Migliano Neto , da 7ª Vara da Fazenda de São Paulo, o shopping Center Norte abriu as portas normalmente, às 10 horas, nesta sexta-feira. A interdição do local havia sido determinada pela prefeitura depois de laudos da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) apontarem o risco de explosão devido ao vazamento de gás metano. O segundo maior shopping de São Paulo em movimentação, por onde passam 80 mil pessoas diariamente, de segunda a sexta-feira, e 120 mil nos finais de semana, foi construído em cima de um lixão.

Lojas abertas, mas corredores vazios. Quase não há clientes no shopping. Josie Carvalho, de 40 anos, que trabalha no shopping há 4 nos, diz que as notícias espantaram os clientes. “Não sei nem estimar o prejuízo que vou ter. O movimento não caiu, despencou."

O vendedor Cláudio Almeida, de 34 anos, trabalha há dois anos no Center Norte e nunca tinha visto algo parecido. "Sinto que o prejuízo é de 50%. Este mês vou fechar com o piso (salarial). Sinto que venho trabalhar para cumprir horário”, lamenta explicando que a comissão equivale a três vezes o seu salário fixo.

A representante comercial Débora Oliveira, de 46 anos, frequenta o shopping desde a fundação porque mora na região. "Sou cliente de várias lojas e conhecida dos vendedores. Ao conversar com eles, noto o desespero deles. Não sei se é o caso de fechar logo para que as obras sejam aceleradas e cessem o sofrimento dos trabalhadores porque o cenário aqui é de um shopping prestes a falir."

Policiais militares estiveram pela manhã no Center Norte para evitar qualquer problema que pudesse ocorrer com a ação do Sindicato dos Comerciários de São Paulo, que foi até lá para conversar com lojistas e a administração. 

Para o presidente do sindicato, Ricardo Patah, "se a Cetesb e os órgãos públicos tivessem certificado que o shopping não corre risco, não haveria problema". "Mas a liminar da Justiça foi uma decisão política e não técnica. Se baseou no direito do bem material e não na vida dos lojistas."

O sindicato propôs à administração do Center Norte que o estabelecimento permanecesse três dias fechado para que os drenos - para retirada do gás metano - fossem instalados, conforme determinação da Cetesb. No entando, a administração não quis comentar a sugestão. Oito drenos devem ser instalados, mas apenas um está em funcionamento.

Recurso

A prefeitura informou que a Procuradoria Geral do Município (PGM) está preparando recurso contra a liminar concedida ao shopping Center Norte. Na segunda-feira (3), o recurso deve ser enviado à Justiça de São Paulo, de acordo com a assessoria de imprensa.

    Leia tudo sobre: center nortelixãoexplosãogás metanoinfográfico

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG