Polícia busca suspeito que pode responder por crueldade contra animais, em Novo Horizonte. Filhote foi encontrado vivo e com ferimentos na pele e olho

Um filhote de cachorro com apenas 4 meses foi enterrado ainda vivo na cidade de Novo Horizonte, interior de São Paulo. Segundo moradores da região, o filhote teria sido maltratado pelo próprio dono que, por não ter condições financeiras, o teria enterrado havia 12 horas. Animal foi encontrado com sérias feridas na pele e uma perfuração no olho e passa por tratamentos. Polícia investiga o caso e procura pelo suspeito que pode responder pelo crime de crueldade contra animais.

Crime em Piracicaba: Morre cão que foi arrastado por dono em Piracicaba

Testes de cosméticos:  Laboratório espanhol liberta 72 beagles usados como cobaias

Titã recebe tratamentos em clínica veterinária. Filhote foi encontrado com feridas pelo corpo
Divulgação
Titã recebe tratamentos em clínica veterinária. Filhote foi encontrado com feridas pelo corpo

O presidente da Associação de Proteção aos Animais Mão Amiga, Marcos Antônio Rodrigues, afirmou que o ocorrido comoveu grande parte dos 35 mil moradores de Novo Horizonte. A denúncia veio de uma vizinha que acompanhava a situação do animal. "Ela já tinha visto o cachorro sofrendo maus tratos. Um integrante da associação tentou encontrá-lo e não conseguiu. Ao falar com a mulher sobre o susposto sumiço, ela disse que o dono poderia ter enterrado", explicou.

Alexandre, integrante que buscava o filhote nas ruas da cidade, decidiu olhar em um terreno na região e percebeu que uma parte da terra 'se movia'. "Foi muito rápido. Ele contou que cavou e logo viu o animal ainda vivo e tremendo". O cachorro foi socorrido e levado para uma clínica veterinária com sérias feridas na pele e uma perfuração no olho, que teria surgido devido o contato da terra com o olho do animal. "Ainda está muito assustado, mas se recupera bem. A previsão é que em 15 ou 20 dias ele esteja pronto para ganhar um novo lar".

O presidente da associação explicou ainda que não faltam candidatos para adotar Titã, nome que o filhote ganhou na própria clínica. "Muitos ficaram chocados com o que aconteceu", disse o comerciante ressaltando que alguns moradores entram em sua loja para deixar pequenas quantias em dinheiro para o tratamento de Titã.

A associação informou que já teria apresentado um termo circunstanciado à Justiça e o suspeito de enterrar o cachorro deve ser investigado pelo crime de crueldade contra animais. "Queremos que ele pague pelo que fez. Muitos animais estão sendo maltratados e a polícia precisa fazer alguma coisa" desabafou Rodrigues. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.