Aparecida recebe mais de 150 mil fiéis no dia da Padroeira

Fiéis lotaram maior templo mariano do mundo desde a madrugada neste feriado. Missas e precissões marcaram celebração

iG São Paulo |

A cidade de Aparecida, no Vale do Paraíba, em São Paulo, recebeu mais de 150 mil pessoas no feriado de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil. Desde as primeiras horas desta manhã, o movimento era intenso nas diversas alas do Santuário Nacional de Aparecida, maior tempo mariano do mundo. Com estacionamento lotado durante todo o dia, foi difícil encontrar alguma vaga depois das 6h, sendo que no espaço cabem 5 mil veículos, entre ônibus, caminhões e carros de passeio.

Agência Estado
Missa no Santuário Nacional de Aparecida, nesta quarta- feira (12)

A celebração teve início antes de o dia amanhecer. Uma procissão de velas saiu da Basílica Nova até o local onde a santa foi encontrada em outubro de 1717, no Porto Itaguassu, no Rio Paraíba do Sul. Durante toda a madrugada, fiéis aproveitaram para rezar e fazer pedidos à Nossa Senhora, a fila para visitação à imagem chegou a demorar pouco mais de uma hora. Uma missa festiva dedicada às crianças teve as participações de um coral infantil e uma cantora mirim. O Dia da Criança também foi comemorado na celebração principal.

Leia também: Marcha contra corrupção reúne manifestantes em todo País

A missa solene, que reuniu quase 40 mil fieis, foi aberta pela cantora Joanna cantando "Padroeira" e levou os fiéis à emoção. A cantora teve um câncer de mama e afirma que sua devoção à santa só aumentou após a cura. A Basílica ficou lotada, tanto na área interna quanto na externa. Muitos romeiros acompanharam a celebração por telões espalhados na área religiosa. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, participou do evento e foi acompanhado por sua esposa, Lu Alckmin, e o ex-governador José Serra. Políticos da região do Vale do Paraíba também aproveitaram para aparecer na área reservada às autoridades.

O Cardeal Arcebispo de Aparecida e presidente da Conferência da Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Raymundo Damasceno Assis presidiu a missa e condenou a corrupção política no País e convocou os brasileiros a denunciarem. "Não podemos concordar com nenhuma forma de corrupção, pois os recursos são da população", afirmou. "A Igreja pede que as denúncias sejam investigadas", apelou. De acordo com o cardeal, as redes sociais estão exercendo um importante papel na mobilização contra a corrupção e criticou os deputados. "O Congresso está fazendo mais uma reforma eleitoral do que política".

No período da tarde, os fiéis acompanharam a consagração a Nossa Senhora e um show com o padre Antônio Maria, que esteve presente em toda a festividade desde a manhã. Na celebração solene, Immaculée Ilibagiza, sobrevivente do genocídio de Ruanda em 1994, na África, foi saudada pelo Cardeal Arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis. "Fiquei impressionada com o jeito de adoração à Nossa Senhora, me impressionei tanto que às vezes me escondia", comentou a jovem que perdeu a maior parte de sua família no massacre e ficou no altar durante a missa.

Durante todo o dia, milhares de fiéis lotaram os refeitórios e o centro comercial, localizado na área de estacionamento da Basílica. Segundo o Santuário Nacional, 1.300 funcionários trabalharam para acolher as 150 mil pessoas que passaram pelo local. A previsão é de que 600 mil romeiros visitem a Padroeira até o próximo domingo (16) e 11,3 milhões passem em 2011. O maior movimento em um único dia foi registrado em 14 de novembro 2010, quando 245 mil pessoas visitaram o templo.

Segundo Dom Raymundo Damasceno Assis, no mesmo dia que brasileiros celebraram a festa de Nossa Senhora Aparecida, cópias autênticas da santa também foram entronizadas nos Estados Unidos, nas cidades de Washington e Nova York.

* Com informações da AE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG