Ao menos 50 pessoas lincharam motorista, diz delegado

Edmilson Alves foi espancado após sofrer um mal súbito e perder controle de ônibus que atingiu veículos; polícia busca imagens

Fernanda Simas, iG São Paulo |

AE
Condutor teria passado mal e perdito controle do veículo
O delegado Antônio José Pereira, titular do 69º Distrito Policial, estima que ao menos 50 pessoas participaram da agressão ao motorista de ônibus Edmilson Reis Alves, 59. Ele foi espancado e morto na noite de domingo após perder o controle do veículo e bater em um carro na rua Torres Florêncio e Rielli, altura do número 285, no Jardim Planalto na zona leste de São Paulo . De acordo com a polícia, Alves teve um mal súbito

Segundo testemunhas disseram à polícia, era impossível chegar ao motorista porque havia muita gente em cima dele.

“É muito provável que eles [agressores] tenham pensado que era mais um acidente causado por um motorista embriagado”, disse Pereira, delegado titular do 69º Distrito Policial. De acordo com o descrito no boletim de ocorrência, várias pessoas não identificadas "passaram a apedrejar o coletivo, bem como hostilizar o motorista". O motorista teria sido "arrancada" pela janela do ônibus.

Leia também: 'Nem um bicho faria isso', diz mulher de motorista linchado

De acordo com o delegado, depois de sofrer o mal súbito, o motorista bateu em um primeiro carro. Segundo testemunhas, as pessoas saíram do veículo e começaram a agredir o motorista. Uma cobradora que estava de folga, mas dentro do ônibus, disse que puxou o freio de mão do veículo.

Durante o linchamento, alguém soltou o freio de mão e o ônibus bateu em carros e motos. Pessoas que estavam em um baile funk, vizinho ao local do acidente, começaram a agredir o motorista, sem motivo aparente, ainda segundo o delegado. Alves foi agredido com socos e pontapés. O extintor do ônibus e R$ 25 do motorista sumiram do veículo. Testemunhas disseram que sempre há drogas e armas no baile funk.

“Estamos investigando e vendo se tem câmera de segurança. Ficamos sabendo que muita gente gravou o linchamento com celular”, disse o delegado. Além do motorista morto, um homem, Fábio Bento do Prado, chegou a ser atropelado pelo ônibus e foi encaminhado ao Hospital Geral de São Mateus.

A polícia aguarda laudo do IML para confirmar se a morte ocorreu pelo mal súbito ou pelas agressões. O caso foi registrado como homicídio qualificado. Até o momento, ninguém foi identificado e preso. O velório de Alves será no Cemitério da Vila Alpina.

    Leia tudo sobre: motorista ônibuslinchamentoagressão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG