Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura voltou a colocar toda a cidade em estado de atenção para enchentes

As fortes chuvas que atingiram a cidade de São Paulo voltaram a causar inúmeros transtornos aos paulistanos no final da tarde desta segunda-feira (12). De acordo com a Infraero, estatal que administra os aeroportos públicos no País, o Aeroporto de Congonhas voltou a ser fechado, às 16h15, para pousos e decolagens devido ao mau tempo, a exemplo do que já havia ocorrido em ao menos duas ocasiões na semana passada. A situação se normalizou às 17h17 e 16 voos foram cancelados. Os ventos chegaram a 85 km/h. O Aeroporto Internacional de Guarulhos (Cumbica), de onde decolam e aterrissam voos internacionais, operou sem restrições. 

A chuva também voltou a derrubar árvores pela cidade. Em janeiro, em menos de quinze dias já caíram mais de 900 . Nesta segunda, de acordo com o DER (Departamento de Estradas e Rodagens), a Rodovia Raposo Tavares foi totalmente fechada, nos dois sentidos no km 15 para a remoção da árvore. As pistas só foram liberadas às 19h30.

No Butantã, na zona oeste de São Paulo, a queda de uma árvore de médio porte bloqueou o trânsito na Rua José Esperidião Teixeira. No outro extremo da cidade, uma árvore grande caiu e bloqueou a calçada de um trecho da Radial Leste, na altura do Viaduto Alcântara Machado, na região do Brás. Outra árvore caiu na Rua Ceará, altura do nº 202, em Higienópolis. A Subprefeitura teve de ser acionada.

Veja fotos de alguns dos grandes temporais deste verão no Estado:

O Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura de São Paulo emitiu, no meio da tarde, alerta de estado de atenção para enchentes para todas as regiões da capital paulista. Isso significa que, também a exemplo do ocorrido na semana passada, mais uma vez eram grandes as chances de as chuvas causarem alagamentos, invadirem casas e deixarem vias intransitáveis e pessoas ilhadas.

Leia mais:
São Paulo registra queda de 900 árvores em 15 dias

Foi o que ocorreu em ao menos 34 locais, nos quais 20 chegaram a ficar intransponíveis, por volta das 19h26 desta segunda-feira. Trechos das avenidas Atlântica (Cidade Dutra); Nações Unidas; Rubem Berta, Vinte e Três de Maio e Rua dos Patriotas (Vila Mariana) ficaram intransitáveis. A região de Santo Amaro (zona sul) foi a mais castigada, com alagamentos bloqueando vias como a Marginal Pinheiros, a Avenida Vitor Manzini e a Avenida Roque Petroni Júnior.


Homem enfrenta enchente na zona sul de São Paulo na segunda-feira (12)
TV Bandeirantes/Reprodução
Homem enfrenta enchente na zona sul de São Paulo na segunda-feira (12)

O estado de atenção, emitido às 15h15 para as zonas sul, sudeste, leste e para a Marginal Pinheiros só acabou às 18h20. Menos de uma hora depois, o CGE alertou para o risco também nas regiões norte, oeste, centro e Marginal Tietê. As 17:40 o estado de atenção também se ampliou para o Campo Limpo e Ipiranga, na zona sul, e para a região do ABC. Devido ao mau tempo, todas as linhas, com exceção da Amarela, do Metrô passaram a operar em velocidade reduzida. 

Na CPTM, três linhas de trem foram atingidas por raios. A Linha 11- Coral não circulou entre as estações Luz e Estudantes. A Linha 10- Turquesa, também atingida, está circulando com velocidade reduzida. A Linha 12- Safira, continua com circulação interrompida entre as estações Brás e Calmon Viana. A Linha 9- Esmeralda está circulando com velocidade reduzida. 

Repeteco

Na semana passada, todas essas áreas registraram locais com alagamentos que causaram transtornos a quem passava por elas. Terminais de ônibus de enorme importância para a população, como o Bandeira, tiveram de ser fechados na ocasião.

Leia também:
Chuvas causam alagamentos, destroem veículos e fecham aeroporto e terminais
Após tragédia em Praia Grande, duas pessoas morrem vítimas de raio na Grande SP

Além das chuvas, que vieram acompanhadas de fortes rajadas de vento – as mesmas responsáveis pela queda de mais de quase mil árvores na cidade ao longo dos últimos 15 dias –, o CGE também alertou para a possibilidade de granizo em algumas áreas.

Segundo o órgão, a máxima de 36ºC na tarde desta segunda-feira (12), temperatura mais alta do ano e que favoreceu a formação do temporal.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.