Conheça o monotrilho e saiba como o transporte vai mudar São Paulo

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

O primeiro trecho da Linha 17-Ouro do metrô da capital paulista terá 7,7 km de extensão e oito estações

Alexandre Mantovani/Futura Press
Apresentação do trem usado no primeiro monotrilho do Brasil

O governo do Estado de São Paulo apresentou nesta quarta-feira (31) o trem que será usado no monotrilho. Projetado para ligar a estação Jabaquara do Metrô ao Shopping Butantã, na avenida Francisco Morato, o monotrilho deve começar a funcionar, em parte, já no ano que vem. Isso porque a promessa é entregar o trecho que ligará o aeroporto de Congonhas, em São Paulo, até a estação Morumbi da Companhia Paulista de Trens Urbanos (CPTM) um mês antes da Copa de 2014, evento que será disputado no Brasil entre os dias 12 de junho e 13 de julho evento e tem a capital paulista como uma das sedes.

Conheça a nova home do Último Segundo

Saiba como o monotrilho vai impactar áreas importantes

Apesar de existir o risco da obra não ser concluída até a data do evento, o fato é que a chamada Linha 17-Ouro do metrô da capital paulista vai definitivamente mudar a aparência de algumas vias e bairros da cidade. O primeiro trecho a ser entregue terá, por exemplo, 7,7 km de extensão e oito estações: Jardim Aeroporto, Congonhas, Brooklin, Vereador José Diniz, Água Espraiada, Vila Cordeiro, Chucri Zaidan e Morumbi.

Monotrilho na zona sul pode não ficar pronto até a Copa

Por conta dissso, uma ideia avaliada pela empresa controlada pelo governo do Estado é instalar um envelope de plástico ao redor do elevado por onde circularão os trens. A estrutura tem cristais que escurecem na hora em que a composição roda por ali, impedindo que os passageiros olhem para fora e possam ver os apartamentos.

O monotrilho é um trem relativamente pequeno – menor que um metrô – e já opera em cidades dos EUA, Japão e vários outros países. Ele correrá sobre vigas de concreto a 15 metros do chão, mais ou menos a altura do terceiro andar de um prédio, suficiente para fazê-lo passar por cima das pontes que cruzam o trajeto. Os pilares que sustentam essas vigas ficarão, quase sempre, nos canteiros centrais das avenidas. Os vagões se movimentam com pneus de borracha sobre concreto, por isso, segundo o Metrô, são mais silenciosos que um trem comum – com rodas e trilhos de aço.

*Esta reportagem foi corrigida às 15h16 do dia 31/10/2013. Veja as correções.

Veja como deve ficar o monotrilho:

Projeto prevê como deve ser monotrilho no cruzamento do rio Pinheiros. Foto: MetrôMonotrilho passará por cima da ponte do Shopping Morumbi. Foto: MetrôMonotrilho chegará ao Estádio do Morumbi, onde o trânsito é caótico em dias de jogos e shows. Foto: MetrôProjeção do monotrilho na av. João Jorge Saad, próximo ao Estádio do Morumbi. Foto: MetrôLinha passará perto do muro do Colégio Porto Seguro (à direita). Foto: MetrôMonotrilho também vai cruzar o Cemitério do Morumbi, numa área de passagem de visitantes. Foto: MetrôQuando passar próximo a prédios residenciais, o monotrilho terá os vidros escurecidos, afirma o Metrô. Foto: MetrôEstação final da Linha 17 Ouro, onde haverá integração com a futura Linha 4 Amarela do Metrô. Foto: MetrôO trem passa sobre a Av. Ver. José Diniz. Os pilares se apoiam em pórticos sobre o córrego. Foto: MetrôProjeto de estação. Entrada e saída acontecerão pelas laterais da avenida Verador José Diniz, por passarelas. Foto: Metrô
Leia tudo sobre: igspmonotrilhoLinha 17-Ouroobrametrôtransportemaislidas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas