Protesto começou na região central e seguiu até a Avenida Paulista; polícia usou bombas de gás lacrimogêneo e efeito moral para dispersar grupo que bloqueou ambos sentidos da via

Polícia Militar enfrenta manifestantes contra o aumento das tarifas de transporte público no centro da cidade
Futura Press
Polícia Militar enfrenta manifestantes contra o aumento das tarifas de transporte público no centro da cidade

Manifestantes entraram em confronto com a Polícia Militar e a Tropa de Choque nesta quinta-feira (6) em São Paulo, em um protesto contra o aumento das passagens de ônibus, trem e metrô na cidade. Organizada pelo Movimento Passe Livre, a manifestação reuniu cerca de dois mil estudantes, trabalhadores e representantes de partidos políticos, entre outros, no Vale do Anhangabaú, no centro da cidade, seguiu pelas ruas do centro, passando pela Prefeitura, e continuou pelas avenidas 23 de Maio e 9 de Julho até chegar à avenida Paulista. 

São Paulo: Tarifas de ônibus, trem e Metrô vão subir para R$ 3,20 em junho

3 de junho:  Manifestantes protestam contra alta da tarifa de ônibus em São Paulo

Segundo a reportagem do iG , às 21h a Tropa de Choque dispersou os manifestantes, em sua maioria jovens na faixa dos 20 anos, com bombas de gás lacrimogênio e de efeito moral, dispersando os participantes do protesto em direção à Avenida da Consolação. Os manifestantes jogaram cestas de lixo. "Há muita fumaça e correria," relatou o repórter Vasconcelo Quadros. 

O confronto durou cerca de 15 minutos, causando tensão entre os passantes e usuários do metrô, que ficaram presos na estação Consolação, entre as ruas Augusta e Haddock Lobo. 



Do outro lado da Paulista

Parte dos manifestantes se escondeu no Shopping Pátio Paulista, no início da Avenida Paulista, para fugir da repressão policial. A PM cercou o centro comercial e até as 21h40 esperava a saída do grupo.

Ao entrar no local, os manifestantes quebraram o para-brisa de um carro que estava exposto no shopping e o letreiro de uma loja. A polícia chegou a atirar gás na porta do estabelecimento.

A PM ainda não se pronunciou sobre a ação ou sobre o número de prisões. O presidente do Sindicato dos Metroviários, Altino de Melo, está entre os detidos.

Ônibus: Cidades da Grande São Paulo anunciam redução no preço da passagem

No trajeto entre o Vale do Anhangabaú e o Shopping Pátio Paulista, passando pelas avenidas Nove de Julho e Paulista, pelo menos duas viaturas da São Paulo Transportes (SPTrans) e duas bancas de revistas foram depredadas.

Veja vídeo divulgado pela Ação Direta de Vídeo Popular sobre o confronto:

A avenida já está liberada, mas as viaturas estão circulando nos dois sentidos para evitar novos bloqueios, já que boa parte dos manifestantes se dispersou para ruas vizinhas.

Mais cedo

Anteriormente, manifestantes atearam fogo em cones durante a passagem da manifestação pela região central. Passageiros que seguiam para o Terminal Bandeira e para o metrô acabaram sendo atingidos pelo gás lacrimogêneo. Ainda não há informações sobre feridos.

Relatos de participantes contam que os manifestantes colocaram fogo em uma catraca de ônibus no cruzamento da via com a Av. Vinte e Três de Maio e internautas relataram nas redes sociais que integrantes do movimento também colocaram fogo na saída do Túnel do Anhangabaú e ao longo da pista, entrando em confronto com a Tropa de Choque.

No início da semana, começou a vigorar o aumento das passagens de ônibus e de metrô na capital paulista, de R$ 3 para R$ 3,20. O Movimento Passe Livre promete novos protestos contra o aumento nos próximos dias.

(Com informações da Agência Brasil e Agência Estado e reportagem de Vasconcelo Quadros)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.