Capital registrou 145 homicídios contra 78 ocorrências registradas no mesmo mês do ano passado; recorde de setembro também foi quebrado com aumento de 96%

Agência Estado

As mortes envolvendo policiais militares e as execuções suspeitas de civis continuam contribuindo para a explosão dos homicídios em São Paulo. Até a tarde de quarta-feira (31), a capital já havia registrado 145 homicídios em outubro, um crescimento de 86% em relação ao mesmo mês do ano passado, que teve 78 ocorrências. Os dados são do Sistema de Informações Criminais (Infocrim) e não levam em consideração os registros da noite de quarta-feira.

Crescimento de 96%:  Homicídios em SP dobram em setembro ante 1 ano atrás

PM de São Paulo realiza operação Saturação na favela de Paraisópolis há quatro dias
Futura Press
PM de São Paulo realiza operação Saturação na favela de Paraisópolis há quatro dias


É o segundo mês consecutivo em que a capital registra recorde de homicídios desde que a contabilidade mensal começou a ser feita pelo governo de São Paulo, em janeiro do ano passado. O recorde já havia sido quebrado em setembro passado, com 135 homicídios - total 96% maior do que o mesmo mês do ano anterior.

Taxa de homicídio cresce 41,1% em 17 anos, diz IBGE
H omicídio de jovens cresce 346% em três décadas no País, diz estudo

"As operações policiais iniciadas nesta semana nas favelas de Paraisópolis (zona sul), Funerária (zona norte) e São Remo (zona oeste) foram feitas em cima de inteligência e planejamento. Conseguimos identificar de onde partiam algumas instruções para a morte de policiais e creio que por isso a tendência da curva de homicídios deve começar a se reverter", afirma o coronel Marcos Chaves, do Comando de Policiamento da Capital.

São Remo:  Rota faz operação para prender procurados em São Paulo
Paraisópolis: 
PM de São Paulo prende membro do PCC 
Chega a 17 número de presos durante operação na favela de Paraisópolis

A 6.ª Delegacia Seccional de Santo Amaro, que compreende bairros da periferia da zona sul, foi a que registrou maior quantidade de homicídios, com 28 ocorrências. O 47º DP, no Capão Redondo, com 16 casos, cresceu 128% em relação ao mesmo período do ano passado. Na sexta-feira (02), moradores do Jardim Ângela vão realizar uma caminhada pela paz.

Veja a cobertura completa dos ataques a policiais em São Paulo

A 7.ª Seccional, em Itaquera, na zona leste, e a 3.ª, na zona oeste, com 26 casos, empataram em segundo lugar. Em seguida, vem a 4.ª seccional, na zona norte, com 22 casos. A 8.ª, em São Mateus, na zona leste, teve 18 casos. As três seccionais com menos casos foram a 1.ª, no centro, com 10 casos, a 2ª, na região centro-sul, com 8 ocorrências, e 5ª, na zona leste, com 6. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.